06:54 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    5733
    Nos siga no

    O principal objetivo da operação dos EUA para detenção de cidadãos russos na capital de Belarus em 2020 era o rompimento de relações entre Moscou e Minsk, e a Ucrânia foi um instrumento nesta missão, disse aos jornalistas um membro do Serviço Federal de Segurança (FSB, na sigla em russo).

    "Isso é indiscutivelmente verdade. A missão dos americanos era conhecida. E naquele momento eles estavam agindo exclusivamente no âmbito desta tarefa geopolítica, ou seja, o rompimento das relações entre Rússia e Belarus. Toda essa operação foi planejada exclusivamente para isso. E se tivesse sido bem-sucedida, nossas relações com Minsk teriam sido muito afetadas e teria sido gasto muito tempo para apresentar esclarecimentos e corrigir as relações", afirmou o representante do FSB.

    "Neste caso os ucranianos eram um instrumento. Tecnica e financeiramente era tudo feito pelos americanos [...] Neste caso especifico o instrumento era a inteligência militar e a 5ª secção do Departamento de Contraespionagem do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU, na sigla em ucraniano). Era tudo feito por eles", acrescentou.

    Fonte do FSB ressaltou também que, tendo levado a cabo uma operação para deter cidadãos russos em Minsk em 2020 usando seus serviços especiais, a Ucrânia cometeu um ato de terrorismo de Estado.

    Em julho de 2020, as autoridades bielorrussas informaram sobre a detenção de 33 cidadãos russos. A Comissão de Investigação de Belarus especificou que eles eram suspeitos de organizar distúrbios em massa no país. Ao mesmo tempo, de acordo com os serviços secretos, anteriormente foi recebida uma informação sobre a chegada a Belarus de "mais de 200 militantes para desestabilizar a situação durante o período de campanha eleitoral". As eleições foram realizadas em 9 de agosto.

    "O objetivo era conhecido, foram comunicadas informações falsas ao Comitê de Segurança do Estado (KGB) de Belarus que estas pessoas vieram para participar em distúrbios do lado da oposição, foi por isso que os parceiros belarussos reagiram dessa maneira. Mas depois tudo foi esclarecido", conclui fonte do FSB.

    Segundo declarou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, pode se dizer com elevado grau de certeza que os russos detidos são funcionários de uma empresa de segurança privada, estavam de passagem no país e se atrasaram para o voo. Peskov disse que os detidos não cometeram atos ilícitos e a Rússia não interferiu nem interfere nos assuntos do país vizinho.

    Mais tarde, em 14 de agosto de 2020, a Procuradoria-Geral da Rússia informou que 32 dos 33 cidadãos detidos regressaram à Rússia, o 33º cidadão ficou em Belarus, já que tinha dupla nacionalidade.

    Mais:

    Dezenas de pessoas são detidas na Bielorrússia em meio a protestos
    União Europeia impõe sanções a Lukashenko e mais 14 funcionários da Bielorrússia
    Em discurso à nação, ex-presidente da Ucrânia diz que país está dependente das relações Rússia-EUA
    Tags:
    Rússia, Serviço Federal de Segurança (FSB), Minsk, CIA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar