15:17 11 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    171035
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (27), os signatários do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) voltaram à mesa de negociações na tentativa de restaurar o acordo nuclear e fazer com que o Irã e os EUA cumpram suas obrigações.

    Representante da Rússia nas organizações internacionais em Viena, e enviado às negociações do JCPOA, Mikhail Ulyanov afirmou que Moscou pretende evitar que o Irã possua uma bomba nuclear sob quaisquer circunstâncias.

    Ele também acrescentou que está "otimista" com as perspectivas de restauração do negócio, mas destacou que esta é uma impressão pessoal. Ulyanov explicou que as partes já conseguiram resolver um dos principais obstáculos para chegar a um acordo: elas abandonaram a ideia do "acordo nuclear plus".

    ​A proposta, sugerida inicialmente pelos EUA, de incluir restrições ao programa de mísseis do Irã e aos embarques de foguetes para grupos como o Hamas, era "irreal e contraproducente", disse o diplomata.

    "Como diz um provérbio norte-americano: você tentou acertar três coelhos com uma só cajadada. Afinal, impor limites ao programa nuclear iraniano é muito diferente do desenvolvimento de mísseis e das questões de segurança regional", disse Ulyanov.

    ​A nova rodada de negociações de Viena começou com a reunião oficial da Comissão do JCPOA. As discussões provaram que os participantes são guiados pela unidade de propósito, que é a restauração total do acordo nuclear em sua forma original. Decidiu-se agilizar o processo.

    O representante russo sugeriu que as negociações de Viena poderiam ser concluídas com sucesso mesmo sem contato direto entre o Irã e os EUA.

    "Acredito que é possível. Depois que o JCPOA for restaurado e os EUA voltarem ao negócio, as partes vão automaticamente começar a se falar diretamente, já que se reunirão em reuniões regulares dos Estados signatários", afirmou.

    Encontro em Viena

    Os comentários de Ulyanov foram feitos no momento em que as negociações do JCPOA foram retomadas em Viena, nesta terça-feira (27).

    Os signatários têm trabalhado em iniciativas para convencer o Irã a abandonar seus recentes avanços no enriquecimento de urânio, ao mesmo tempo suspendendo as sanções norte-americanas, impostas por Washington após sua retirada do acordo, em maio de 2018.

    Vale lembrar que, nesta semana, Teerã afirmou que cerca de 60% dos problemas foram resolvidos já na primeira semana de reuniões, uma sinalização de que os encontros em Viena foram satisfatórios.

    Reunião da Comissão Conjunta do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) com participação da China, França, Alemanha, Rússia, Reino unido e Irã em Viena, Áustria, 28 de julho de 2019
    © AFP 2021 / Alex Halada
    Reunião da Comissão Conjunta do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) com participação da China, França, Alemanha, Rússia, Reino unido e Irã em Viena, Áustria, 28 de julho de 2019

    Mais:

    'Israel vai se defender', diz Netanyahu após reunião em Viena sobre acordo nuclear
    Ataque a Natanz foi supostamente planejado 'muito antes' das negociações de Viena, diz mídia
    Irã rejeita propostas do acordo nuclear de Viena: 'Não vale a pena olhar'
    Tags:
    EUA, bomba nuclear, bomba, Rússia, Irã, JCPOA, Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar