04:54 25 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    10582
    Nos siga no

    Em resposta aos comentários do secretário de Estado dos EUA Antony Blinken, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia exige que Washington pare de interferir nos assuntos internos russos.

    "A interferência grosseira dos EUA nos assuntos internos da Rússia é um fato tão comprovado quanto a promoção de informações falsas e incitações a ações não autorizadas através das plataformas de Internet controladas por Washington. O apoio do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à violação da lei é mais uma confirmação do papel de Washington nos bastidores. Não há dúvida de que as ações destinadas a encorajar os protestos fazem parte da estratégia de contenção da Rússia", publicou a Chancelaria russa na sua página no Facebook.

    Neste contexto, o ministério russo exigiu "o fim da interferência nos assuntos internos de Estados soberanos", lembrando a responsabilidade pela propagação de informações falsas relativamente às ações não autorizadas.

    Hoje (31), o secretário de Estado dos EUA condenou no seu Twitter "o persistente uso de métodos duros pelas autoridades russas contra manifestantes pacíficos e jornalistas" durante os eventos deste domingo (31), apelando a Moscou para que "liberte as pessoas detidas por exercerem os seus direitos humanos, incluindo Aleksei Navalny".

    Junto com Antony Blinken, a embaixada dos EUA na Rússia tem divulgado vários tweets sobre os protestos, acusando as autoridades russas de "detenção de ativistas, jornalistas e bloqueio do centro de Moscou".

    Na semana passada, a embaixada dos EUA teria estado envolvida na tentativa de coordenar os protestos, publicando mapas com as rotas indicadas.

    Mais:

    Putin diz que vídeo em que Navalny o acusa de ter um palácio é tentativa de 'lavagem cerebral'
    Tribunal russo decide que prisão de Navalny por 30 dias foi legal
    ONG criada por Navalny pede aos EUA que sancionem 35 altos funcionários e empresários russos
    Tags:
    Aleksei Navalny, chancelaria, EUA, secretário de Estado, Antony Blinken, ingerência, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar