05:31 06 Março 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    11724
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia referiu publicação da embaixada norte-americana local, que indica detalhes sobre as manifestações não autorizadas e parece as apoiar.

    O Ministério das Relações Exteriores russo disse no sábado (23) que os EUA deviam deixar de se intrometer nos assuntos internos da Rússia, criticando a embaixada norte-americana em Moscou por aparentemente fornecer ajuda aos manifestantes locais.

    A embaixada tinha dito que estava monitorando "notícias sobre ações de protesto em 38 cidades russas" em apoio ao opositor russo Aleksei Navalny, afirmando que "apoia o direito de todas as pessoas a protestos pacíficos e à liberdade de expressão" e que as medidas das autoridades russas são supostamente "destinadas a suprimir esses direitos".

    "Cuidem de seus próprios problemas e parem de interferir nos assuntos internos de outros Estados", disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia em um post no Facebook.

    Maria Zakharova, representante oficial do ministério, também comentou a publicação da Embaixada dos EUA, que indicou os percursos e horários das manifestações, e até os possíveis destinos, ao mesmo tempo que aconselhava os viajantes norte-americanos a se afastarem delas.

    "O que foi isso: uma diretriz ou instrução? Tais planos não foram sequer anunciados pelos organizadores. Pode-se imaginar o que teria acontecido se a Embaixada da Federação da Rússia em Washington tivesse publicado um mapa dos percursos dos protestos, indicando o destino final, por exemplo, no Capitólio. Tal direcionamento no terreno resultaria em uma histeria global de políticos americanos, incluindo slogans russofóbicos, ameaças de sanções e expulsão de diplomatas russos", escreveu no Facebook.

    Ela advertiu também que "nossos colegas americanos terão que se explicar na Praça Smolenskaya [edifício do Ministério das Relações Exteriores da Rússia]".

    Anteriormente, policiais norte-americanos detiveram manifestantes em Washington, EUA, que estavam insatisfeitos com os resultados das eleições no país. O Ministério das Relações Exteriores russo referiu que a embaixada norte-americana não criticou a morte de cinco pessoas e a detenção de mais de uma centena, com Washington apelidando as ações pacíficas dos manifestantes como "um ataque à democracia".

    "A hipocrisia é uma ferramenta da diplomacia norte-americana que se tornou particularmente perigosa no período da epidemia da COVID-19", concluiu.

    No domingo (17), Navalny foi preso em Moscou após regressar de avião desde a Alemanha, sendo acusado de violar condições de pena suspensa de prisão e colocado sob custódia de 30 dias. Ele e seus apoiadores convocaram protestos no sábado (23) em Moscou e várias outras cidades na Rússia.

    Mais:

    Eventos nos EUA mostram que gigantes da tecnologia 'ignoram' Constituição do país, afirma Lavrov
    Putin poderia ter tido conhecimento sobre invasão ao Capitólio, sugere Hillary Clinton
    Administração Biden usará 'arma' de sanções de Trump de maneira diferente, relata Reuters
    EUA apoiam investigação sobre suposto envenenamento de Navalny, diz Pompeo
    Tags:
    Embaixada, Embaixada dos EUA, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Ministério das Relações Exteriores, Aleksei Navalny, Moscou, Maria Zakharova, Facebook, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar