07:21 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    16742
    Nos siga no

    O presidente do Conselho Europeu, o belga Charles Michel, telefonou para o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para pedir que Aleksei Navalny fosse libertado.

    A informação foi divulgada nesta sexta-feira (22), em um comunicado publicado no site do Conselho Europeu.

    "Charles Michel declarou que a União Europeia está unida em pedir à Rússia que liberte rapidamente o senhor Navalny e inicie a investigação sobre a tentativa de assassinato contra ele, com total transparência e sem mais demoras", diz um comunicado publicado no site do Conselho Europeu.

    A nota informa ainda que o presidente do Conselho Europeu disse a Putin que a União Europeia (UE) e todos os países do bloco estão muito preocupados com o ocorrido com Navalny e pedem às autoridades que respeitem os direitos do opositor do governo russo.

    Em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, discursa no parlamento da União Europeia, em 23 de julho de 2020.
    © AP Photo / Francois Walschaerts
    Em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, discursa no parlamento da União Europeia, em 23 de julho de 2020.

    UE decide na segunda-feira (25) se vai impor sanções à Rússia

    Os chanceleres dos países membros da UE vão discutir a possibilidade de impor sanções à Rússia por conta do caso Aleksei Navalny. Segundo o porta-voz da Comissão Europeia de Relações Exteriores, Peter Stano, a provável data para a decisão sobre as sanções é a próxima segunda-feira (25).

    "Os Estados-membros estão discutindo as medidas que vamos tomar [...] e o próximo fórum, que provavelmente será o mais adequado para fazê-lo e tomar uma decisão possível, é o Conselho de Relações Exteriores, marcado para a próxima segunda-feira (25)", disse Stano à imprensa. 

    Stano lembrou que as sanções são sempre "adotadas por unanimidade entre todos os Estados da UE".

    Aleksei Navalny dentro de avião da companhia aérea russa Pobeda
    © Sputnik / Insaf Basirov
    Aleksei Navalny dentro de avião da companhia aérea russa Pobeda

    No último domingo (17), Navalny foi preso em um aeroporto de Moscou ao retornar da Alemanha, onde permaneceu desde o final de agosto de 2020, após um suposto envenenamento por uma substância do grupo dos inibidores da colinesterase, enzima vital para o funcionamento normal do sistema nervoso. A versão do envenenamento é mantida pelas autoridades alemãs, mas rejeitada pelos russos.

    No dia seguinte ao retorno de Navalny a Moscou, a Justiça da Rússia decidiu por prender o opositor do governo russo por 30 dias. Ao desembarcar de seu voo, Navalny foi detido por policiais sob acusação de violar os termos de liberdade condicional de uma condenação de 2014.

    Mais:

    Clínica alemã que tratou Navalny não encontrou vestígios de agentes de guerra química, diz Lavrov
    UE impõe sanções a cidadãos russos pelo caso Navalny
    Em ultimato, Rússia ordena que Navalny retorne ao país
    Lavrov: Alemanha se comporta de forma rude com Rússia sobre o caso Navalny
    'Tratem dos problemas em seus países', retruca Zakharova apelos de governos para liberar Navalny
    Tags:
    Vladimir Putin, União Europeia, Charles Michel, Conselho Europeu, Rússia, Aleksei Navalny
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar