01:09 22 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    3521
    Nos siga no

    O lendário espião soviético George Blake, que trabalhou tanto para o Reino Unido quanto para a União Soviética durante a Guerra Fria, faleceu aos 98 anos.

    A confirmação da morte foi dada neste sábado (26) por Sergei Ivanov, porta-voz do Serviço de Inteligência Externa (SVR), à Sputnik.

    "Recebemos notícias amargas, o lendário George Blake se foi", disse.

    O presidente russo, Vladimir Putin, expressou suas profundas condolências à família e amigos de Blake. A mensagem foi publicada no site do Kremlin.

    "O coronel Blake foi um profissional excepcional, de coragem especial e resistência à vida. Ao longo dos anos de seus esforços árduos e extenuantes, ele deu uma contribuição verdadeiramente inestimável para garantir a paridade estratégica e a preservação da paz no planeta. [...] Nossos corações sempre guardarão a calorosa memória deste homem lendário", diz o texto.

    Blake nasceu em 1922 nos Países Baixos e em 1942 chegou ao Reino Unido onde começou a trabalhar na Diretoria de Operações Especiais, em 1948 foi recrutado pelo serviço de inteligência britânico MI-6.

    Em 1950, após a divisão da Coreia, Blake foi capturado e levado para a Coreia do Norte, onde passou três anos. Após sua libertação, o Reino Unido o enviou como agente duplo para Berlim, onde ele contatou a KGB e revelou informações sobre agentes do MI6 e também sobre operações no Reino Unido e nos Estados Unidos.

    Ele foi capturado em 1961 e condenado a 42 anos de prisão em Londres, mas escapou quatro anos depois para se exilar na União Soviética.

    Mais:

    Militares russos testarão satélite atmosférico no Ártico
    Rússia reabre laboratório da época soviética que testava armas para condições extremas
    Marinha russa incorpora novíssima corveta (VÍDEO)
    MRE russo diz que campanha dos EUA por armas hipersônicas ocorre devido a 'orgulho ferido'
    Projétil com detonação programável: Rússia testa novas táticas de combate a drones
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar