22:54 25 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)
    170
    Nos siga no

    O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, declarou nesta quinta-feira (10) que uma nova instalação para produzir vacinas contra o coronavírus será aberta em Moscou em janeiro.

    De acordo com o prefeito da capital russa, cerca de 6.000 pessoas em Moscou já foram vacinadas.

    "Posso dizer que além da Binnopharm, que fica em Zelenograd, estamos construindo mais uma grande fábrica para produzir vacinas com base no pólo tecnológico de Moscou, que entrará em operação e produzirá grandes lotes de vacina em janeiro", disse ele em entrevista ao canal Rossiya 24.

    Sobyanin afirmou que durante o feriado de Ano Novo não serão realizados eventos de massa em Moscou.

    "Não estamos planejando nenhuma restrição adicional, não estamos planejando nenhuma penalidade adicional e sanções administrativas", acrescentou.

    Mulher anda de máscara pela Praça Vermelha, Moscou (foto de arquivo)
    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Mulher anda de máscara pela Praça Vermelha, Moscou (foto de arquivo)

    O prefeito de Moscou disse também que as escolas retornarão a operar em tempo integral assim que houver uma diminuição da incidência do coronavírus.

    Os moradores da capital russa começaram a receber a vacina Sputnik V contra a COVID-19 no último sábado (5). 

    Em agosto, a Rússia se tornou o primeiro país a registrar uma vacina contra COVID-19, a Sputnik V. Os testes clínicos da vacina, desenvolvida pelo Centro Gamaleya, demonstraram que sua taxa de eficácia é superior a 90%.

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo no início de dezembro (93)

    Mais:

    Anvisa autoriza uso emergencial de vacinas contra COVID-19
    Primeiro caso de reinfecção pela COVID-19 é confirmado no Brasil
    Brasil tem 848 mortes em 24h e passa de 179 mil óbitos por COVID-19
    Tags:
    novo coronavírus, Sputnik V, Sergei Sobyanin, COVID-19, vacina, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar