18:40 05 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    1180
    Nos siga no

    Sergei Chemezov, diretor-geral da corporação estatal russa Rostec, referiu que, não obstante a pandemia, o interesse na compra de armas russas no exterior se tem mantido.

    Vários países estrangeiros, incluindo os que possuem sistemas russos de defesa antiaérea S-400, estão interessados em adquirir os novos sistemas S-500, disse na segunda-feira (7) aos jornalistas Sergei Chemezov, diretor-geral da corporação estatal russa Rostec.

    "Há interesse [de clientes estrangeiros], mas de quem, não vou dizer. Isto inclui aqueles que já nos compraram S-400", afirmou.

    No entanto, os S-500 não serão exportados até serem integrados nas Forças Terrestres da Rússia, relatou Chemezov em resposta a uma pergunta sobre seu fornecimento ao exterior.

    "Antes de começarmos a vender, temos que abastecer nosso exército, depois é que exportaremos. Ainda não temos nem passaporte de exportação nem passaporte de exposição, por isso que é muito cedo até mesmo para falar sobre isso", apontou.

    Mantendo o volume de exportações

    O diretor-geral da Rostec também falou dos valores totais de exportação de armas previstos para 2020.

    "Este ano os volumes praticamente não mudarão. O plano de entrega que esperamos cumprir é de US$ 12,8 bilhões [R$ 65,99 bilhões]. Agora está em cerca de US$ 10 bilhões [R$ 51,52 bilhões], e penso que até o final de dezembro atingiremos as metas planejadas. Como regra, o número máximo de entregas é no final do ano", relatou.

    Ele lembrou que a empresa de exportação Rosoboronexport, que integra a Rostec, manteve pedidos de encomenda do exterior ao nível de US$ 50 bilhões (R$ 257,78 bilhões), apesar da pandemia.

    "Uma ligeira diminuição na demanda também se deveu ao fato de que nossos parceiros foram forçados a retirar alguns fundos do orçamento da defesa para combater o coronavírus", explicou.

    As Forças Armadas da Rússia devem receber os primeiros sistemas de defesa antiaérea S-500 em 2021, com o início da entrega em série acontecendo em 2025.

    Neste momento, os S-400 estão em serviço na China e Turquia, e também foi assinado um contrato para fornecimento à Índia.

    Segundo o serviço de imprensa da Rosoboronexport, desde 2000, a empresa concluiu mais de 26.000 contratos e forneceu armamentos e equipamentos a 122 países, no valor de mais de US$ 180 bilhões (R$ 928,01 bilhões).

    Exportação de equipamentos 5G

    Além disso, em 2023 a Rostec pretende lançar a produção em massa de equipamentos 5G, tanto para a faixa de frequência de 4,4 GHz a 4,99 GHz, que está planejada para ser alocada na Rússia, quanto para outras faixas, bem como exportar o equipamento, informou Sergei Chemezov.

    Torre de rede de telefonia celular
    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Torre de rede de telefonia celular

    A prioridade para o 5G é a faixa de 3,4 a 3,8 GHz, mas esta é ocupada no país por outros serviços, incluindo os de energia.

    Maksut Shadayev, chefe do Ministério de Estatística da Rússia, informou previamente que a faixa de frequência de 4,8 a 4,9 GHz deverá ser totalmente liberada para o desenvolvimento de redes 5G, o mesmo acontecendo com as frequências de 24,25 a 24,65 GHz, e de 694 a 790 MHz, que eram utilizadas para o sinal analógico.

    Segundo Chemezov, a corporação estatal está atualmente definindo a lista de empresas que produzirão os equipamentos 5G.

    Mais:

    Tropas russas treinam lançamento de sistema de mísseis antiaéreos S-400 Triumph (VÍDEO)
    Aviões da OTAN não aguentariam muito a defesa antiaérea da Rússia, diz Forbes
    Como EUA tentam travar vendas de armas da Rússia e da China?
    Venezuela vai criar rede 4G com ajuda de empresas chinesas e russas, diz Maduro
    Tags:
    5G, Índia, Turquia, China, S-500, Forças Armadas da Rússia, Forças Armadas, Forças Terrestres, S-400, Rússia, Sergei Chemezov
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar