09:18 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    5351
    Nos siga no

    Chanceler da Rússia afirma que comportamento da Alemanha no suposto caso de envenenamento do opositor russo Aleksei Navalny é inadmissível.

    Durante coletiva de imprensa em modo on-line, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse sobre a anterior decisão da União Europeia em aplicar sanções contra Moscou:

    "Claro que ocorrerão respostas às sanções. Uma vez que as sanções da União Europeia relacionadas com Navalny afetam diretamente dirigentes da administração do presidente da Rússia, nossas sanções de resposta serão recíprocas. Elas já foram aprovadas e sobre isso comunicaremos em breve a nossos colegas alemães e franceses."

    Ainda de acordo com o chanceler, tais sanções serão direcionadas a funcionários públicos dos círculos dos líderes da Alemanha e França.

    Lavrov voltou a criticar, em particular, a Alemanha e seu comportamento no caso do suposto envenenamento de Navalny.

    "Em relação a Navalny, aqui há realmente fundamento para um desentendimento muito sério. E existe fundamento para declarar as ações de nossos colegas alemães como totalmente inaceitáveis e não condicentes com as obrigações internacionais", acrescentou.

    Berlim também é vista pela diplomacia russa como líder no agravamento das relações entre o bloco europeu e a Rússia.

    "Eu disse ao [ministro das Relações Exteriores da Alemanha] Heiko Maas e eu posso repetir, porque acho que isso já não é segredo para ninguém, que nós vemos como a Alemanha assumiu o papel de líder do novo agravamento das relações com a Rússia. Isso nos preocupa, inclusive do ponto de vista do papel global que a Alemanha tem na Europa", disse Lavrov.

    Navalny envenenado na Alemanha?

    Ainda segundo o ministro russo, existem indícios para acreditar de que substâncias venenosas surgiram no organismo de Navalny na Alemanha ou durante sua viagem até o país europeu.

    "Eu não irei me aprofundar nesta história, os fatos são todos conhecidos [...] [Navalny] foi imediatamente transferido para a clínica Charité. Nesta mesma clínica Charité, assim como no hospital em Omsk, não encontraram substâncias venenosas de uso militar em seu organismo. Mas tais substâncias tóxicas de uso militar foram encontradas já na clínica do Bundeswehr [Forças Armadas da Alemanha]."

    "Nós temos bases para pressupor de que tudo o que aconteceu com ele, do ponto de vista da penetração de substâncias venenosas de uso militar em seu organismo, pode ter ocorrido na Alemanha ou no avião no qual o embarcaram e transportaram até a clínica Charité", disse.

    Caso Navalny

    Em 20 de agosto deste ano, o oposicionista russo Aleksei Navalny se sentiu mal durante viagem de avião da cidade de Tomsk para Moscou, ambas na Rússia.

    Após dois dias internado na cidade de Omsk, Navalny foi transferido para a clínica Charité em Berlim, Alemanha.

    Posteriormente, autoridades da Alemanha e de outros países europeus afirmaram que testes clínicos apontaram que Navalny foi alvo de envenenamento por alguma substância do grupo Novichok.

    Por sua vez, a Rússia por inúmeras vezes pediu a realização de uma investigação conjunta para determinar a causa do mal-estar de Navalny, ao passo que desenvolvedores do Novichok afirmam que se Navalny tivesse sido envenenado com esse agente químico ele não teria sobrevivido.

    Mais:

    Aleksei Navalny lamenta que Trump não tenha condenado seu suposto envenenamento
    Caso Navalny: falta de fósforo nos exames da OPAQ exclui chance de uso do Novichok, diz cocriador
    Investigadores do caso Navalny interrogam mais de 230 pessoas em Tomsk
    Tags:
    União Europeia, sanções, Novichok, Sergei Lavrov, Alemanha, Rússia, envenenamento, Aleksei Navalny
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar