04:43 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    4420
    Nos siga no

    Presidente da Rússia diz que manutenção do balanço de forças elimina a ameaça de um conflito de grande escala e torna tentativas de chantagem e pressão ao seu país sem sentido.

    Durante encontro com a direção do Ministério da Defesa da Rússia, entidades federais e empresas de defesa, Vladimir Putin, presidente da Rússia, disse:

    "Ressalto: apesar da mudança de natureza das ameaças militares, é precisamente a tríade nuclear que se mantém como a principal garantia-chave da segurança militar da Rússia [...] E se olharmos de forma mais ampla, também [é a garantia] da estabilidade global."

    Além disso, o presidente reafirmou o compromisso de seu governo em manter a modernização de seu poderio nuclear.

    "Considerando os atuais riscos político-militares, vamos continuar a nos ocupar da modernização das forças estratégicas nucleares, a fortalecer de forma planejada seus componentes [...] Também no futuro a Rússia continuará mantendo seu potencial nuclear ao nível da suficiência necessária."

    Primazia russa

    Enquanto a Rússia tem realizado testes com armas cada vez mais sofisticadas e desenvolvido mísseis hipersônicos, Putin ressaltou a primazia de seu país no avanço das tecnologias de defesa.

    "Em certos armamentos estratégicos, nosso país foi muito além das outras principais potências militares no mundo [...] Pela primeira vez na história, nosso país, a Rússia, entrou no grupo não dos que tentam alcançar [o desenvolvimento de tecnologia militar], mas ela mesma apresentou exemplares [de tecnologias] que por anos e até décadas ultrapassam seus análogos estrangeiros, enquanto algumas [tecnologias] não possuem iguais no mundo [...] e provavelmente por muito tempo não terão análogos", declarou.

    A força de armas estratégicas também é fundamental para a defesa dos interesses do país.

    "Nós temos todas as forças estratégicas necessárias para a defesa segura dos interesses da Rússia", acrescentou.

    Contudo, apesar do caráter nuclear do poderio militar russo, Moscou não objetiva iniciar uma corrida armamentista.

    "Utilizando o potencial intelectual, nossas escolas científicas, a infraestrutura necessária, nós não intencionamos nos envolver, nos meter em uma corrida armamentista exaustiva. Não vamos fazer isso, e não temos necessidade disso hoje", acrescentou.

    Controle de armas nucleares

    Ainda nas palavras de Putin, o "sistema de controle de armas tem francamente se degradado".

    A Rússia tem enviado aos EUA sugestões e ofertas no campo da segurança que consideram os fatores de influência na estabilidade estratégica, incluindo meios de "primeiro ataque", os quais a Rússia considera inaceitáveis.

    "Os parceiros americanos receberam nossas sugestões de desenvolvimento da nova equação da segurança, ela considera todos os fatores que influenciam na estabilidade estratégica."

    Contudo, o líder russo disse que o futuro do tratado Novo START ainda está incerto, ao passo que deverá perder seu efeito no início de 2021, caso não seja prorrogado pelos EUA e a Rússia.

    "Se mantém incerto o destino do último de fato acordo fundamental no campo da limitação dos armamentos de ataque estratégicos, o tratado Novo START, cujo prazo finda logo, como é sabido, em fevereiro de 2021, ou seja, muito em breve."

    Mais:

    Coreia do Norte está construindo 2 novos submarinos nucleares, diz inteligência sul-coreana
    FOTO mostra bombardeiro chinês H-6N com 'grande míssil hipersônico'
    Tratado para Proibição das Armas Nucleares não é causa, mas sintoma de discórdias, diz especialista
    Departamento de Estado dos EUA diz monitorar testes russos após lançamento de míssil hipersônico
    Tags:
    Tratado START, EUA, segurança, arma nuclear, Rússia, tríade nuclear
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar