05:14 31 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Por
    3321
    Nos siga no

    Documentário brasileiro "Senta a Pua!" é exibido em Moscou para contar ao público russo como os avestruzes da FAB lutaram para derrotar a Alemanha nazista e "conquistar seu direito de viver mais 24 horas".

    Nesta sexta-feira (4), o documentário brasileiro "Senta a Pua!", que relata a participação da Força Aérea Brasileira na Segunda Guerra Mundial foi exibido no Festival Internacional "Dias do Cinema Histórico de Guerra", celebrado em Moscou entre os dias 2 e 6 de setembro.

    Dirigido por Erik Castro, o documentário traz entrevistas com figuras de destaque do Grupo de Caça da FAB que apoiou o esforço de guerra aliado na Itália, como o brigadeiro Rui Moreira Lima.

    "Esse é um espaço valioso para trazermos aos russos a história da participação do Brasil na Segunda Guerra", disse o responsável pelo setor cultural da Embaixada do Brasil, primeiro secretário Alvaro Galvani, à Sputnik Brasil.

    "É importante frisar que Brasil e Rússia lutaram lado a lado [...] que somos aliados tradicionais", declarou o diplomata.

    Único país latino-americano a enviar tropas para o teatro de operações nessa fase da guerra, a participação do Brasil ainda é pouco conhecida na Rússia.

    Força Aérea Brasileira (FAB) durante a Segunda Guerra Mundial.
    © Foto / Domínio Público/ Arquivo Histórico do Exército Brasileiro
    Força Aérea Brasileira (FAB) durante a Segunda Guerra Mundial.

    "Essa guerra foi travada longe das fronteiras brasileiras, mas influenciou muito a nossa história política. Nosso primeiro presidente no período do pós-guerra foi um general", lembrou Galvani.

    A exibição do documentário foi feita no âmbito da cooperação entre a Embaixada do Brasil e o maior museu de história militar da Rússia, o Museu da Vitória.

    Graças a essa parceria, hoje os brasileiros que visitam Moscou podem se familiarizar com a experiência russa e soviética na guerra, ouvindo o áudio-guia do museu em português.

    Museu da Vitória, na capital da Rússia, Moscou
    © Sputnik / Anton Denisov
    Museu da Vitória, na capital da Rússia, Moscou

    Para ele, a Rússia "com certeza é um exemplo no esforço de rememorar os esforços de seus antepassados, dando o apoio necessário aos seus museus e apoiando a realização de eventos" que marcam a participação da URSS na guerra contra a Alemanha nazista.

    "Agora fizemos a legenda em russo para o documentário ["Senta a Pua!"] a fim de apresentar para eles a nossa história", disse Galvani.

    O diplomata lembra que, "apesar de ser um documentário de guerra", "Senta a Pua!" é um "filme dinâmico, com momentos bem-humorados".

    Primeiro-secretário do Itamaraty Álvaro Galvani e a assistente de chancelaria Gabriele Costa Guadagnin durante exibição do documentário Senta a Pua! em Moscou, 4 de setembro de 2020
    © Sputnik / Ana Livia Esteves
    Primeiro-secretário do Itamaraty Álvaro Galvani e a assistente de chancelaria Gabriele Costa Guadagnin durante exibição do documentário "Senta a Pua!" em Moscou, 4 de setembro de 2020

    Com uma média de três pilotos mortos por mês, a participação do 1º Grupo de Aviação de Caça da FAB na Segunda Guerra Mundial foi dramática.

    No entanto, como escreveu o veterano da FAB Luís Perdigão Fonseca em seu livro "Missão de Guerra", a trajetória dos avestruzes da FAB também proporcionou "o prazer de reconquistar a cada dia o direito de viver mais 24 horas".

    O Festival Internacional "Dias do Cinema Histórico de Guerra" será realizado até o dia 6 de setembro em Moscou para marcar os 75 anos da vitória aliada sobre a Alemanha nazista.

    Mais:

    Muito além da Europa: documentário traz participação dos países do BRICS na 2ª Guerra Mundial
    Defensoras da liberdade: história das enfermeiras brasileiras que lutaram na 2ª Guerra Mundial
    'Sua missão era morrer': brasileiro pracinha fez nazistas fugirem da Itália 'como ratos assustados'
    Tags:
    aliados, Itália, vitória, Dia da Vitória, Força Aérea, Segunda Guerra Mundial, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar