14:02 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    1320
    Nos siga no

    Os Jogos Olímpicos de verão de 1980 foram celebrados em Moscou e tiveram uma enorme importância para a União Soviética. Porém, se não fosse pelo Comitê de Segurança do Estado (KGB, na sigla em russo), o país não teria conseguido manter intacta sua reputação após os jogos.

    Na véspera do 40º aniversário da histórica cerimônia de abertura do evento esportivo, a Sputnik consultou Valery Sysoev, ex-presidente da Comissão de Educação Física da Rússia e membro da diretoria do Comitê Olímpico da Rússia, sobre as medidas tomadas para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos de 1980.

    "Devido ao fato de que era a primeira vez que nós preparávamos e proporcionávamos um evento mundial deste tipo, às vezes se observava no trabalho um excesso de precaução. Isto se devia à falta de experiência e aos detalhes específicos de certos esportes. Contudo, tudo se ajustou antes dos jogos", explicou Sysoev.

    Justo antes do começo dos Jogos Olímpicos, ocorreu uma situação que, segundo Sysoev, poderia ter acarretado graves consequências para a política exterior da URSS. O contratempo ocorreu no velódromo Krylatskoye, recém-construído para o evento.

    De acordo com o membro do Comitê Olímpico da Rússia, antes da corrida, quando todas as equipes deveriam treinar, foi colocado um grande número de soldados das Tropas Internas da URSS "ao longo de todo o perímetro interno e externo da pista".

    Ainda que não levassem armas, como recordou Sysoev, "estavam posicionados tão próximos uns dos outros que ninguém podia entrar ou sair".

    "Quando vi isso, fiquei surpreso. Não era difícil imaginar como seria a reação dos estrangeiros, ririam de nós. Diriam: 'Assim é como se organizam os comunistas", afirmou.

    Uma competição de ciclismo nos Jogos Olímpicos de Moscou em 1980
    © Sputnik / Yuri Abramochkin
    Uma competição de ciclismo nos Jogos Olímpicos de Moscou em 1980

    Por sorte, até aquele momento os participantes de outros países ainda não tinham chegado ao local. Portanto, Sysoev teve que atuar com rapidez para resolver o problema a tempo.

    "Me aproximei da pessoa responsável por proteger a pista, ele me disse: 'Não posso fazer nada, tenho ordem de não deixar ninguém entrar.' Expliquei que existiam aspectos específicos do ciclismo, que os ciclistas definitivamente precisariam da ajuda de suas equipes para mudar a roda, para receber água e comida. 'E se há um acidente na pista, como será enviada assistência?' Mas para ele isso não importava", lembrou.

    Sysoev salientou que ninguém criou aquela situação de propósito, somente buscavam fazer o melhor que podiam. Contudo, era um problema e ele deveria ser resolvido o quanto antes.

    "Corri em direção ao telefone, chamei a sede: Filipp Bobkov, o diretor da Quinta Direção da KGB, me respondeu. Eu disse: 'Filipp, aconteceu isto e isto. Você entende perfeitamente que lástima será se todo o mundo ver isto, como vão distorcer e falar disto no Ocidente", compartilhou o veterano esportista.

    Segundo Sysoev, o oficial da KGB "entendeu tudo no mesmo momento" e deu uma ordem para que os soldados se retirassem. As tropas se mantiveram somente no ponto de controle e não por todos os lados. Os visitantes jamais se deram conta do que aconteceu momentos antes, concluiu o membro do comitê.

    Os XXII Jogos Olímpicos de Verão se celebraram em Moscou de 18 de julho a 3 de agosto de 1980. Um total de 5.179 atletas de 80 países participaram do evento esportivo. Contudo, Estados Unidos, Alemanha Ocidental, Japão e outros países boicotaram os jogos em protesto pelo envio de tropas soviéticas ao Afeganistão.

    Mais:

    Atletas brasileiros vão treinar na Europa para Olimpíadas de 2021; Portugal é a 1ª parada
    Comitê organizador: Olimpíadas de Tóquio serão canceladas se pandemia não for controlada até 2021
    Como navio construído na URSS acabou na Marinha dos EUA? (FOTO)
    Tags:
    Olimpíadas, URSS, KGB, esporte, Moscou, história
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar