07:48 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)
    10354
    Nos siga no

    As acusações contra a Rússia de ataques de hackers a empresas farmacêuticas ocidentais são uma tentativa de manchar a vacina russa, que pode se tornar a primeira do mundo, afirmou nesta quinta-feira (16) o CEO do Fundo de Investimento Direto da Rússia (RDIF), Kirill Dmitriev.

    "Acho que toda essa história é uma tentativa de manchar a reputação da vacina russa por algumas pessoas que têm medo de seu sucesso, porque a vacina russa pode ser a primeira no mercado e potencialmente a mais eficaz", declarou Dmitriev.

    Essas são acusações típicas, sem qualquer evidência, e o momento de sua aparição é digno de nota, justamente quando foi anunciado que a aprovação da vacina russa pelos reguladores era esperada em agosto, prosseguiu ele.

    "Não há necessidade de 'roubar' nada de Oxford porque a AstraZeneca já está em discussão com uma das empresas do nosso portfólio R-Pharm para produzir as vacinas de Oxford na Rússia. Portanto, não é necessário roubar, não são necessários segredos. Tudo já foi entregue à R-Pharm, nossa empresa de portfólio, que produzirá as vacinas Oxford AstraZeneca na Rússia", comentou Dmitriev.

    No início do dia, o Centro Nacional de Cibersegurança do Reino Unido (NCSC) informou que estava trabalhando com os EUA e o Canadá para identificar ataques de hackers que afetam empresas farmacêuticas e cientistas em vários países.

    Médico analisando exame de paciente com COVID-19 na clínica da Universidade Estatal de Moscou, Rússia
    © Sputnik / Tatiana Makeeva
    Médico analisando exame de paciente com COVID-19 na clínica da Universidade Estatal de Moscou, Rússia

    Segundo o centro britânico, hackers russos ligados à inteligência tentaram roubar dados sobre o desenvolvimento de uma vacina para a COVID-19 de três países. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, rejeitou essas alegações.

    ONU não fala sobre suposto ataque hacker

    A ONU não tem informações sobre o suposto ataque de hackers por um grupo cibernético vinculado à Rússia, disse o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (16).

    "Não temos comentários ou informações sobre os relatórios de hackers", disse Dujarric.

    O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab, condenou as ações dos hackers.

    A operação para expor atores malignos foi conduzida em conjunto pela Agência de Segurança Nacional dos EUA, pelo Estabelecimento de Segurança de Comunicações do Canadá e pela Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura de Segurança do Departamento de Segurança Interna dos EUA, informou a agência britânica.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)

    Mais:

    Sem vacina em 2020: 'abre e fecha' será rotina no Brasil da COVID-19, prevê pneumologista
    China inicia construção de base de produção de vacinas contra COVID-19 (FOTO)
    Vacina contra COVID-19 testada no Brasil pode ser liberada em junho de 2021
    Tags:
    Universidade de Oxford, saúde, roubo, hackers russos, hackers, espionagem, Kirill Dmitriev, vacina, Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Reino Unido, Canadá, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar