21:34 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    5571
    Nos siga no

    Vladimir Titov, adjunto do chanceler russo Sergei Lavrov, comentou a possibilidade de a Polônia receber ogivas nucleares norte-americanas, qualificando-as de ameaça para a Rússia.

    A Rússia tomará medidas de retaliação se os Estados Unidos transferirem suas armas nucleares da Alemanha para a Polônia, disse à Sputnik o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Vladimir Titov.

    "Sejam quais forem as capacidades militares que sejam implantadas em território polonês e que representem uma ameaça ao nosso país, as entidades competentes russas tomarão medidas de resposta abrangentes", disse o diplomata.

    Em 8 de junho, o chefe do Escritório de Segurança Nacional da Polônia, Pawel Soloch, disse que a Polônia não estava negociando a possível implantação de armas nucleares norte-americanas em seu território.

    Ao mesmo tempo, Soloch apontou a Rússia como a principal ameaça à segurança nacional do país. Em 2014, depois que a Crimeia foi reincorporada na Rússia e o conflito armado eclodiu em Donbass, o tema da "ameaça russa" para os países da Europa Central e do Báltico ganhou mais força.

    Os EUA, com a justificação de "dissuadir a agressão russa", começaram a implementar a chamada Iniciativa de Segurança Europeia, no âmbito da qual começaram a acumular tropas e equipamentos adicionais dos países da OTAN nas fronteiras da Europa, bem como a criar infraestruturas militares.

    Moscou respondeu que a suposta ameaça russa é um mito que os países ocidentais usam para fins de política interna e também para aumentar a presença militar perto das fronteiras da Rússia.

    Mais:

    Polônia assina acordo de compra de caças F-35 dos EUA
    Guerra na Europa? Por que EUA enviarão um 'exército inteiro' para o velho continente?
    'Deserto nuclear': que danos poderia provocar instalação de mísseis americanos na Europa?
    Tags:
    Sputnik, Alemanha, Vladimir Titov, Polônia, EUA, OTAN, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar