08:32 13 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    2150
    Nos siga no

    Retirada dos EUA do Tratado de Céus Abertos é um estratagema deliberado que visa a destruição do sistema de estabilidade estratégica e segurança no mundo, afirma representante oficial do MRE russo.

    Os Estados Unidos, através de suas ações estão sistematicamente quebrando o quadro de estabilidade estratégica, afirmou a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

    Em uma entrevista ao canal de televisão russo Rossiya 1 em 24 de maio, Maria Zakharova observou que os EUA estão se retirando de todos os acordos que lhes limitem a ação, como é o caso do Tratado de Céus Abertos.

    "A estabilidade estratégica e todos as convenções que formaram sua base e que criaram um quadro jurídico para as ações dos Estados, tudo isso tem sido sistematicamente destruído pelos Estados Unidos [...] Isso mostra que os Estados Unidos [...] estão deliberadamente trabalhando na destruição do sistema de estabilidade estratégica", afirmou Zakharova.

    A diplomata lembrou que o Tratado de Céus Abertos foi assinado em 1992, incluindo neste momento 33 países, após a saída dos EUA.

    Os Estados participantes do acordo fazem voos de observação como medida de segurança coletiva e "de acordo com as cotas e regulamentos acordados", especificou a diplomata.

    "Durante muitos anos, não houve nenhum problema global com este acordos. Todas as questões problemáticas eram resolvidas no âmbito de uma comissão especial", prosseguiu Zakharova.

    Segundo a porta-voz, os EUA regressaram ao método habitual de campanhas públicas de culpabilização da Rússia.

    Voo de reconhecimento conjunto sobre o território russo realizado pelos EUA e Alemanha
    Voo de reconhecimento conjunto sobre o território russo realizado pelos EUA e Alemanha

    "Em todos os problemas dos Estados Unidos, a culpa é de Moscou", afirmou ironicamente Zakharova.

    A diplomata relembrou que os EUA se retiraram do Tratado de Mísseis Antibalísticos (ABM) em 2002 e que se recusaram a ratificar o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares.

    "Agora é a vez do Tratado de Céus Abertos. Ainda temos o START-III, que é o último que resta", previu Zakharova, para quem a explicação para esta posição dos EUA reside no seu conceito de exclusividade como país.

    "Posicionar-se como um país que tem poderes especiais, que não está vinculado a obrigações e não joga segundo as regras é um conceito dos EUA que tem sido muito claro há décadas", disse ela.

    Vale recordar que os Estados Unidos se retiraram do Tratado de Céus Abertos alegando incumprimento por parte da Rússia, não descartando o seu regresso caso Moscou "cumpra as suas obrigações".

    Moscou rejeitou as insinuações, afirmando que se tratou de um mero pretexto para os EUA se livrarem das obrigações existentes.

    Mais:

    Rússia detectou mais de 30 lançamentos de mísseis no mundo todo em 2019
    EUA estariam planejando deixar Tratado Internacional de Céus Abertos, segundo congressista
    Trump vetará entrada dos EUA em acordo de armas que não faça sentido, afirma Pompeo
    Tags:
    Maria Zakharova, Tratado de Céus Abertos, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar