07:11 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)
    11160
    Nos siga no

    Cientistas russos desenvolveram um novo teste de alta precisão para diagnosticar o coronavírus, que não dá falsos resultados positivos.

    O kit de detecção foi desenvolvido por pesquisadores do Instituto Central de Epidemiologia do Serviço Federal de Defesa dos Direitos dos Consumidores e Bem-Estar Humano (Rospotrebnadzor, em russo).

    "O kit de diagnóstico passou com sucesso nos testes clínicos e foi registrado para uso na Rússia em 25 de março [Certificado de Registro para dispositivo médico nº RZN 2014/1987]", lê-se no site do serviço federal.

    O novo teste cumpre todos os requisitos modernos de sensibilidade e especificidade, permitindo revelar em um único teste não só o SARS-CoV-2, como também distingui-lo de vírus semelhantes, incluindo o MERS-CoV (que causa a Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

    Anteriormente, a chefe do Rospotrebnadzor, Anna Popova, havia relatado sobre o registro de um novo sistema de testes para determinar a COVID-19, que daria um resultado em 2,5 horas e simplificaria muito o procedimento, além de ajudar a identificar as pessoas, especialmente médicos, que já têm imunidade ao coronavírus.

    Imagem de microscópio eletrônico de transmissão mostra SARS-CoV-2
    Imagem de microscópio eletrônico de transmissão mostra SARS-CoV-2

    De acordo com estatísticas da Universidade Johns Hopkins, no mundo todo foram até agora infectadas 786 mil pessoas pela COVID-19, 37,8 mil pacientes morreram e 166 mil se recuperaram.

    Tema:
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)

    Mais:

    Rússia tem 3 medicamentos potencialmente eficazes no tratamento da COVID-19
    Parceria russo-japonesa desenvolve teste para diagnosticar coronavírus em 30 minutos
    Agência Biomédica Federal da Rússia apresenta medicamento para tratar COVID-19
    Tags:
    vírus, propagação, Rússia, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar