04:05 24 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    460
    Nos siga no

    O surto do novo coronavírus na China não afetará as relações entre Moscou e Pequim e a cooperação bilateral será totalmente restaurada após o fim da epidemia, disse Konstantin Kosachev, presidente do Comitê de Relações Exteriores do Senado da Rússia.

    No final de janeiro, o primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, assinou uma ordem para fechar a fronteira do Extremo Oriente do país para impedir a propagação do novo coronavírus para o território russo. A Federação da Rússia também suspendeu voos de e para a China como medida de contenção do surto do novo vírus.

    "Isso não é um assunto político. Quando o motivo for eliminado, continuaremos as relações normais", disse Kosachev em entrevista à rádio Ekho Moskvy (Eco de Moscou) na sexta-feira (7).

    O senador descreveu a situação em torno do novo coronavírus como preocupante, pois está afetando a economia global.

    "No entanto, o impacto é exercido não por consequências reais, mas por medos e fobias", acrescentou Kosachev.

    A China detectou pela primeira vez o novo tipo de coronavírus na cidade de Wuhan em dezembro de 2019. O vírus já deixou mais de 699 mortos e cerca de 31 mil infectados. A Rússia tem mantido esforços para ajudar a China no combate à epidemia.

    Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou uma emergência de saúde internacional devido à propagação do vírus mundo afora.

    Mais:

    China começa a testar vacina russa contra coronavírus
    Rússia envia ajuda humanitária à China devido ao coronavírus
    Surto de coronavírus afeta produção de eletrônicos no Brasil e preocupa industriais
    Tags:
    coronavírus, OMS, Rússia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar