05:08 21 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    0 150
    Nos siga no

    O vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Dmitry Medvedev, disse nesta quinta-feira (16) que o novo governo russo poderá resolver as grandes tarefas planejadas pelo presidente Vladimir Putin.

    "As novas tarefas importantes que o presidente da Rússia expôs durante sua mensagem [anual ante o Parlamento] também exigem novas abordagens. Estou convencido de que o governo, que será formado em breve, as resolverá", escreveu Medvedev em sua conta na rede social VK.

    Medvedev renunciou nesta quarta-feira (15) ao cargo de primeiro-ministro da Rússia. Agora como vice-presidente do Conselho de Segurança da Rússia, Medvedev vai aconselhar o presidente Putin em assuntos de segurança nacional.

    "Sempre agimos pelos interesses do povo e alcançamos muito; a experiência e o profissionalismo dos membros do governo tiveram um papel importante nesse caso", completou Medvedev.

    Nesta quinta-feira (16), Putin assinou o decreto que nomeou Mikhail Mishustin para o cargo de primeiro-ministro da Rússia.

    A candidatura de Mishustin foi aprovada pelo parlamento russo nesta quinta-feira (16), com 383 votos a favor, 41 abstenções e nenhum voto contra.

    Mishustin, que tem 53 anos, teria tido bom desempenho no cargo de diretor do Serviço Federal de Impostos da Rússia, no qual teria aumentado a arrecadação de imposto sobre o valor agregado (IVA) e impostos sociais.

    Mais:

    Parlamento russo aprova nomeação de Mikhail Mishustin como primeiro-ministro da Rússia
    Putin: 'Operações militares de larga escala no Oriente Médio seriam um desastre para o mundo'
    Putin assina decreto nomeando Mishustin para cargo de primeiro-ministro da Rússia
    Medvedev se reúne com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos
    Premiê Dmitry Medvedev anuncia renúncia plena do governo da Rússia (VÍDEO)
    Tags:
    governo, Rússia, Dmitry Medvedev, Vladimir Putin
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar