17:35 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Jornalista russo e chefe do portal RIA Novosti Ucrânia, Kirill Vyshinsky, posto em liberdade

    'Meu 1º objetivo é restaurar meu bom nome': jornalista Vyshinsky após liberação na Ucrânia

    © Sputnik / Stringer
    Rússia
    URL curta
    1121
    Nos siga no

    Ontem, (28) o jornalista Kirill Vyshinsky, chefe do portal RIA Novosti Ucrânia, foi liberado pelo Tribunal de Apelação de Kiev, após ter estado detido por mais de 400 dias.

    Na sua primeira entrevista à Sputnik depois de ter saído em liberdade, o jornalista relacionou sua soltura com a saída de Pyotr Poroshenko do cargo do presidente da Ucrânia, o que pôs fim à pressão exercida sobre os juízes e alterou o "projeto louco" do Poroshenko de possível troca de Vyshinsky por outro prisioneiro.

    O jornalista foi liberto ontem, no entanto ele tem a obrigação de se apresentar no tribunal ou aos investigadores sempre que for solicitado.

    A próxima sessão de julgamento do seu processo está agendada para 16 de setembro.
    Na sua entrevista, Vyshinsky partilhou ideias sobre os seus próximos planos e o que tenciona fazer primeiro.

    Jornalista russo e chefe do portal RIA Novosti Ucrânia, Kirill Vyshinsky, posto em liberdade
    © Sputnik / Stringer
    Jornalista russo e chefe do portal RIA Novosti Ucrânia, Kirill Vyshinsky, posto em liberdade

    "Os meus planos são simples, estão relacionados com o meu processo judicial. É aquilo que eu tinha dito antes e afirmado [ontem] no tribunal: o meu primeiro objetivo é restaurar o meu bom nome, e provar a minha inocência no tribunal, esse é o meu plano principal para o futuro próximo", disse o jornalista.

    A liberação do jornalista coincidiu com as preparações para a troca de prisioneiros, sobre as quais tanto se fala, entretanto, Kirill Vyshinsky refuta a ideia de que se trata de uma troca.

    "Eu sempre disse que 'troca' é uma palavra que foi proferida ainda antes de me terem entregue [os papéis] de que eu era suspeito de ter cometido determinados crimes. Foi uma frase proferida por políticos próximos de Poroshenko ainda em maio do ano passado. Eu me considero uma pessoa absolutamente inocente, sendo que a minha culpa não foi provada por nenhum tribunal – por isso eu não estou falando de troca", afirmou jornalista.

    "O que eu quero é que o tribunal mude a minha medida de coação, para que eu seja solto, quero continuar demonstrando a minha inocência no tribunal. A 'troca' não é algo que eu estivesse procurando. Esse era o projeto louco imposto pela administração do antigo presidente, pelo menos no que se refere a mim", afirmou Vyshinsky.

    O chefe do portal RIA Novosti Ucrânia foi detido em Kiev no dia 15 de maio de 2018, acusado de apoiar as autoproclamadas República Popular de Donetsk e República Popular de Lugansk e de traição.

    Mais:

    Internautas estão perplexos por jornalista russo preso na Ucrânia não sair na capa da Time
    Tribunal ucraniano prorroga prisão do jornalista russo Kirill Vyshinsky
    Tags:
    Tribunal de Apelações, Rússia, Ucrânia, jornalista, Kirill Vyshinky
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar