04:29 15 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov durante coletiva de imprensa do presidente da Rússia, Vladimir Putin e do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, após um encontro em Tóquio em 16 de dezembro de 2016.

    Após acidente na região de Arkhangelsk, Kremlin garante que Rússia está protegida de radiação

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Rússia
    URL curta
    4173
    Nos siga no

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou nesta terça-feira (13), ao comentar possíveis consequências após acidente na região de Arkhangelsk, que não há riscos aos cidadãos russos.

    "Posso garantir a vocês que, naturalmente, todas as agências de relevância no governo estão fazendo todo o possível para garantir a total segurança dos cidadãos russos; não deve haver dúvidas sobre isso", afirmou Peskov.

    No sábado (10), a Rosatom afirmou que cinco de seus funcionários morreram em uma explosão na quinta-feira (8). O acidente aconteceu durante testes de um propelente para motores de foguete em uma área militar na região de Arkhangelsk, que fica ao norte da região europeia da Rússia, a cerca de 1000 km de Moscou.

    "Cinco membros da equipe da Rosatom morreram e outros três ficaram feridos em um trágico acidente que aconteceu durante testes de um sistema líquido de propulsão com isótopos em uma área militar na região de Arkhangelsk", disse a estatal nuclear em nota oficial.

    O Ministério da Defesa da Rússia também se pronunciou a respeito afirmando que, após a explosão, os níveis de radiação estavam normais.

    Mais:

    Força Aérea britânica afirma ter interceptado 2 bombardeiros russos
    Trump comenta 'explosão de míssil' na Rússia: temos tecnologia mais avançada
    Rússia: moradores de Arkhangelsk protestam contra criação de aterro sanitário na região
    Equipe da Rosatom morre em acidente durante teste de motor de foguete
    Tags:
    Ministério da Defesa da Rússia, Dmitry Peskov, Arkhangelsk, Rosatom, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar