13:08 25 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Sputnik

    Entidade internacional de imprensa critica Reino Unido por barrar agências russas

    © Sputnik / Vladimir Sergeyev
    Rússia
    URL curta
    680

    O diretor-executivo do Comitê de Proteção aos Jornalistas (CPJ), Joel Simon, criticou, nesta terça-feira (9), a decisão de um da Conferência Global de Liberdade sobre Imprensa de barrar as agências de notícias russas RT e Sputnik.

    Para ele, trata-se de uma decisão contraproducente que pode levar a maiores restrições à mídia, disse o chefe do CPJ.

    A crítica foi expressa em uma carta direta para o secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt.

    "Estou escrevendo para expressar minha preocupação com a decisão do seu governo de negar o credenciamento aos meios de comunicação russos RT e Sputnik para cobrir a Conferência Global sobre Liberdade de Imprensa em Londres", escreveu Simon.

    O diretor-executivo do CPJ disse ainda que barrar as duas agências incentiva "governos autocráticos em todo o mundo que usam uma lógica similar para justificar a repressão ao jornalismo crítico".

    A Conferência Global sobre Liberdade de Imprensa acontece em Londres entre os dias 10 e 11 de julho. A recusa por parte da chancelaria britânica em credenciar as agências russas foi anunciada na sexta-feira (5).

    O porta-voz do Kremlin, Dimitry Peskov, também criticou a postura adotada no Reino Unido.

    "Não pode haver nenhum tipo de séria discussão sobre liberdade de imprensa em condições em que é negada a entrada de jornalistas", disse Peskov.

    Mais:

    Por que aviões da OTAN reforçam voos de reconhecimento perto das fronteiras russas?
    Em parceria com a Rússia, reator nuclear da Bolívia entrará em operação em 2021
    De jatos a submarinos: Rússia negocia grandes acordos de armas com a Índia
    'Russos e ucranianos são um só povo', diz Putin ao cineasta americano Oliver Stone
    Tags:
    Reino Unido, Jeremy Hunt, Dmitry Peskov, RT, Sputnik
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar