02:09 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo, Vladimir Putin, parabenizando os cidadãos russos pelo Ano Novo

    Caso Huawei: EUA fomentam uma iminente guerra tecnológica global, afirma Putin

    © Sputnik / Mikhail Kliementiev
    Rússia
    URL curta
    12241

    O presidente russo Vladimir Putin disse que os esforços dos EUA para tirar a gigante de tecnologia chinesa Huawei do mercado global podem ser um sinal de que uma nova guerra tecnológica está chegando.

    "Tome a situação em torno da empresa Huawei, por exemplo. Não há tentativas de desafiá-la, mas de forçá-la descaradamente a sair do mercado global", avaliou Putin ao público no Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo nesta sexta-feira.

    "Em alguns círculos, até é chamada a primeira guerra tecnológica da próxima era digital", acrescentou.

    Washington há muito critica a Huawei e outra empresa chinesa de tecnologia, a ZTE, por supostas ligações com o governo chinês. Em maio, quando a guerra comercial entre Washington e Pequim se intensificou, a administração do presidente Donald Trump colocou na lista negra a Huawei, citando preocupações com a segurança nacional.

    Putin explicou ainda que as tentativas de monopolizar uma nova onda tecnológica por parte de alguns países dificultam a solução do problema da desigualdade global e levarão à desestabilização.

    Apesar das negações repetidas da Huawei sobre as acusações feitas por Washington, as principais empresas globais de tecnologia, como Google, Intel e Qualcomm, começaram a cortar seus laços com a empresa chinesa para cumprir a proibição dos EUA. A Huawei já entrou com uma moção em um tribunal dos EUA para derrubar a proibição de seus produtos, dizendo que foi alvo de "violação do devido processo legal".

    A cruzada de Washington contra a empresa chinesa acontece quando as duas maiores economias do mundo estão envolvidas em uma disputa comercial, que resultou em tarifas de milhares de milhões em importações.

    A escalada mais recente fez com que os EUA aumentassem as tarifas para 25%, sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses, e a China voltasse com tarifas de até 25% sobre 5.000 produtos dos EUA, no valor de US$ 60 bilhões.

    Mais:

    Após veto à Huawei, China prepara 'lista negra' de empresas estrangeiras
    Huawei vai ao Texas para derrubar veto de Trump aos seus produtos nos EUA
    Pompeo admite que CIA tem cometido erros, mas não no caso da Huawei
    Tags:
    Fórum Econômico de São Petersburgo, espionagem, disputa comercial, guerra, tecnologia, ZTE, Huawei, China, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar