05:32 24 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Valentina Matvienko, presidente do Conselho da Federação da Rússia

    Fim do Tratado INF permite que Rússia desenvolva novas armas, afirma senadora

    © Sputnik / Ekaterina Chesnokova
    Rússia
    URL curta
    780

    A revogação do Tratado INF dará à Rússia espaço para desenvolver as armas que atendem às suas prioridades de segurança, disse a principal senadora russa, enquanto o presidente Vladimir Putin apresenta um projeto de lei sobre a suspensão de Moscou do pacto nuclear.

    Valentina Matvienko, que preside o Conselho da Federação da Rússia, fez uma declaração pouco depois de Putin ter apresentado ao Parlamento um projeto de resolução sobre a suspensão de Moscou do acordo fundamental da era da Guerra Fria. A medida ocorreu após Washington ter se retirado unilateralmente do Tratado INF em fevereiro.

    "Fomos obrigados a reagir dessa maneira nas condições em que fomos colocados", declarou.

    A senadora insistiu que a Rússia tomou uma decisão que está "absolutamente certa", pois permite que as Forças Armadas do país adquiram novas armas que "correspondam aos interesses nacionais da Rússia" para "não ficar para trás se nossos parceiros agirem de forma diferente nessa direção".

    A retirada do Tratado INF permitirá que a Rússia desenvolva armas anteriormente proibidas pelos termos do acordo, especificamente mísseis terrestres e de cruzeiro baseados na terra, com alcance entre 500 e 5.500 km.

    Washington já havia acusado Moscou de testar o míssil 9M729, que supostamente excede o alcance permitido. Essa alegação foi refutada pelo Kremlin, que respondeu que os EUA estão testando drones cujas características não cumprem com o exigido pelo tratado. Funcionários da Rússia também afirmaram que os americanos estão instalando os sistemas de lançamento do MK 41 em alguns países europeus e no Japão, violando, assim, o acordo.

    O Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) foi assinado por Mikhail Gorbachev e Ronald Reagan em 1987 e desde então permaneceu sendo um pilar fundamental da segurança europeia. Washington se diz pronta para terminar formalmente o acordo em agosto.

    Mais:

    Nova corrida armamentista à vista? Como ruptura do Tratado INF poderia afetar paz global
    Primeiro-ministro russo lamenta saída dos EUA do Tratado INF
    Ex-inspetor de armas da ONU: Europa é tão culpada quanto EUA pelo declínio do Tratado INF
    Tags:
    defesa, Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), mísseis balísticos, armas nucleares, Guerra Fria, segurança, Valentina Matvienko, Donald Trump, Ronald Reagan, Mikhail Gorbachev, Vladimir Putin, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar