16:20 21 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Kim Jong-un, líder de Corea del Norte

    Cúpula entre Putin e Kim acontece em Vladivostok nesta quinta-feira, diz o Kremlin

    © Sputnik / Ilia Pitalev
    Rússia
    URL curta
    0 100

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se reunirão em 25 de abril na cidade de Vladivostok, no leste da Rússia, informou o assessor do Kremlin, Yury Ushakov, nesta terça-feira.

    "Em 25 de abril, em Vladivostok, nosso presidente manterá conversações com o presidente do Conselho de Estado da República Popular Democrática da Coreia, Kim Jong-un, que virá ao nosso país com uma visita", disse Ushakov a repórteres.

    "Esta reunião será o primeiro contato entre nosso presidente e o líder norte-coreano", acrescentou o assessor presidencial.

    As conversas começarão com o tête-à-tête e depois continuarão nos formatos estreitos e estendidos, prosseguiu Ushakov.

    Guarda-costas escoltam o carro do líder norte-coreano, Kim Jong-un, no trajeto de volta à Coreia do Norte durante a pausa para almoço
    © AP Photo / Assessoria de imprensa da Cúpula das Coreias

    "As negociações, naturalmente, se concentrarão em uma solução política e diplomática para o problema nuclear da península coreana", declarou o funcionário.

    Os líderes não planejam emitir uma declaração conjunta ou assinar documentos após as negociações, complementou Ushakov.

    O funcionário ressaltou que a primeira etapa do roteiro russo-chinês sobre o assentamento da Coreia do Norte já havia sido implementada e que era hora de avançar para a segunda etapa.

    O assessor do Kremlin observou que a situação na península coreana havia se estabilizado ultimamente.

    "Isso se tornou possível em grande parte por causa da iniciativa da Coreia do Norte de interromper testes nucleares e de mísseis e de fechar uma instalação nuclear", disse Ushakov.

    A Rússia vê que a Coreia do Norte e os Estados Unidos estão prontos para continuar o diálogo, embora a última cúpula entre os EUA e a Coréia do Norte não tenha trazido resultados tangíveis, afirmou Ushakov.

    "Até onde podemos ver, os dois lados ainda estão prontos e interessados em continuar o diálogo. Acreditamos que é muito importante, e essa prontidão e interesse devem ser demonstrados no futuro", completou o assessor do Kremlin.

    Ushakov reiterou o compromisso da Rússia de contribuir para a estabilidade da península coreana e disse que as próximas conversações são uma das etapas para conseguir isso.

    Após o encontro com Kim, Putin seguirá para a China, onde irá se encontrar com o presidente Xi Jinping.

    História

    A cúpula será a primeira entre os dois vizinhos desde que o pai de Kim, Kim Jong-Il, conheceu Dmitry Medvedev na Rússia, oito anos atrás.

    Os laços entre Pyongyang e Moscou, outrora seu aliado mais importante, remontam a décadas.

    A União Soviética instalou o avô de Kim, Kim Il-sung, como líder da Coreia do Norte e foi um dos principais apoiadores e principal fornecedor de ajuda a Pyongyang durante a Guerra Fria.

    A URSS começou a reduzir o financiamento para o Norte quando começou a buscar a reconciliação com Seul na década de 1980, e Pyongyang foi duramente atingida pelo fim da União Soviética.

    Desde então, a China se tornou o aliado mais importante do Norte, seu maior parceiro comercial e fornecedor crucial de combustível.

    Analistas dizem que, ao estender a mão à Rússia, Kim poderia estar buscando equilibrar a influência de Pequim, enquanto Putin faz questão de projetar a influência russa em outro ponto crítico global.

    Mais:

    Possível sede de encontro entre Putin e Kim Jong-un tem segurança reforçada
    Kim Jong-un diz estar disposto a 'cooperar com a Rússia' pela paz na península coreana
    Kim Jong-un promete desenvolver poder militar e energia nuclear da Coreia do Norte
    Tags:
    desnuclearização, diplomacia, relações bilaterais, acordo nuclear, armas nucleares, Kremlin, Kim Il-sung, Kim Jong-il, Yury Ushakov, Donald Trump, Vladimir Putin, Kim Jong-un, China, URSS, Estados Unidos, Vladivostok, Coreia do Norte, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar