14:46 23 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Uma das usina da Gazprom, foto de arquivo

    Poder da Sibéria: gasoduto russo de 3.000 km para a China está 99% concluído

    © Sputnik / Ivan Rudnev
    Rússia
    URL curta
    5321
    Nos siga no

    A companhia russa Gazprom anunciou que a construção de seu gasoduto para a China está 99% concluída. A gigante de energia deverá começar a fornecer gás para Pequim através da linha Power of Siberia (Poder da Sibéria) já em dezembro.

    Em 2019, a empresa planeja investir 147,5 bilhões de rublos (US$ 2,24 bilhões) no projeto, que deve entregar 38 bilhões de metros cúbicos de gás natural russo à China anualmente, segundo a apresentação da Gazprom no Investor Day em Singapura.

    A Gazprom e a Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC) selaram um acordo de 30 anos para fornecimento de gás através do gasoduto Power of Siberia em 2014. Em setembro, a Gazprom informou que a parte russa do gasoduto, que vai de centros de produção de gás Yakutia para a China fronteira, estava quase completo.

    A parte russa do gasoduto passa por três regiões russas, incluindo as regiões de Irkutsk e Amur e a República de Sakha (Yakutia). A construção no território chinês começou em abril de 2017 e está atualmente próxima da conclusão.

    A Gazprom está planejando realizar o teste do gasoduto de 3.000 km, completando todas as lacunas até dezembro.

    A empresa russa anunciou planos de investir 320 bilhões de rublos (US$ 4,8 bilhões) na usina de processamento de gás Amur, que deverá receber gás dos centros de produção de gás de Irkutsk e Yakutia como parte do Programa Oriental de Gás.

    A Gazprom pretende se tornar a maior fornecedora da China, respondendo por mais de 25% das importações de gás até 2035, à medida que a demanda do país por gás natural cresce. A China é o maior importador mundial de petróleo e segundo maior comprador de gás natural.

    Mais:

    Especialista: pressão dos EUA contra Nord Stream 2 e Rússia na Europa é inútil
    Rússia está pronta para levar gás para Europa mesmo sem acordo com a Ucrânia, diz ministro
    Putin na Argentina: Gazprom e YPF podem assinar acordo sobre campo de gás
    Tags:
    energia, relações bilaterais, gasoduto, gás, Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC), Gazprom, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar