04:08 24 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Lyudmila Savelieva no filme Guerra e Paz

    Atriz do filme 'Guerra e Paz' conta sua história sobre Cerco a Leningrado

    © Sputnik / V Uvarov
    Rússia
    URL curta
    13270

    Em 27 de janeiro de 1944, a cidade de Leningrado (atual São Petersburgo) foi libertada do bloqueio nazista na Grande Guerra pela Pátria. A famosa atriz russa Lyudmila Savelieva, que desempenhou o papel principal no filme "Guerra e Paz", lembrou como conseguiu sobreviver o cerco mais sangrento da história.

    Hoje (27), a Rússia comemora o 75º aniversário da libertação de Leningrado do bloqueio nazista durante a Grande Guerra pela Pátria (parte da Segunda Guerra Mundial compreendida entre 22 de junho de 1941 e 9 de maio de 1945 e limitada às hostilidades entre a União Soviética e a Alemanha nazista e seus aliados) que durou quase dois anos e meio.

    No primeiro mês de 1942, um dos mais frios do inverno russo, a cada dia morriam 265 bebês menores de um ano, enquanto a cidade mantinha uma alta taxa de natalidade, até 150 crianças por dia, embora o destino da maioria delas fosse trágico.

    Nesse mesmo mês, em 24 de janeiro, em Leningrado cercada nasceu Lyudmila Savelieva na cozinha de um apartamento no centro da cidade. A proeminente atriz russa se tornou famosa por todo o mundo pelo seu papel de Natasha Rostova no filme "Guerra e Paz", que venceu o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1969.

    A Sputnik Mundo falou com Lyudmila sobre sua percepção dos terríveis anos do bloqueio da sua cidade natal, cheios de fome, sofrimento e grande quantidade de mortes.

    Segundo a atriz, seu pai foi para a guerra, enquanto sua mãe grávida, sua irmã e sua avó ficaram na cidade. Durante o cerco, quando Lyudmila nasceu, elas tiveram que preparar comida com o que havia disponível.

    "Quando minha mãe ficou sem leite materno, foi muito difícil. A mãe comprava no mercado cola natural em blocos semelhantes a sabão. Ela a cozinhava durante um dia inteiro e ele se transformava em geleia. E todos nós a comíamos", lembrou a atriz. "Mas eu era gordinha devido a essa geleia, embora coberta de úlceras", disse ela.

    Segundo lhe contava sua mãe, foram anos terríveis. Nas ruas já não havia pássaros nem animais.

    Lyudmila Savelieva na Cerimônia do Oscar de 1969
    © Sputnik /
    Lyudmila Savelieva na Cerimônia do Oscar de 1969

    Lyudmila e sua família conseguiram deixar a cidade cercada através do "caminho da vida", a única rota de abastecimento de Leningrado que cruzava o lago Ladoga. No inverno, o lago congelou e salvou a vida de muitas pessoas. Entretanto, era um caminho muito perigoso porque o gelo nem sempre suportava o peso dos caminhões com as pessoas dentro.

    "Minha mãe recolheu o pouco que nos restava, porque tínhamos queimado muitas das nossas coisas e mobílias para nos aquecermos. Fomos retirados [de Leningrado cercada]. Foi terrível. Perto de nós se afundaram caminhões com crianças e seus pais, mas nós tivemos sorte", lembrou ela.

    Lyudmila Savelieva no filme Guerra e Paz
    © Sputnik /
    Lyudmila Savelieva no filme "Guerra e Paz"

    A atriz recorda bem os tempos após o cerco, que também foram muito difíceis.

    "Alguém nos enviou uma latinha com salsicha. Provei um pedacinho, depois mais um e mais dois e assim comi toda a lata. Eu entendi que estava fazendo algo terrível, porque também tinha uma irmã quatro anos mais velha, além da minha mãe, meu pai e minha avó. Minha mãe voltou para casa, eu estava histérica porque tinha comido tudo. Mas ela me tranquilizou e disse que iríamos sobreviver, que iríamos cozer alguma coisa", confessou Luydmila à Sputnik.

    Cerca de 640.000 pessoas morreram durante o cerco de Leningrado. A maioria morreu devido à fome.

    O maior problema era a quantidade de população a alimentar – mais de três milhões de cidadãos. Em vez de atacar a cidade, Hitler tomou a decisão meramente pragmática de bombardeá-la do ar e fazer com que as pessoas morressem de fome.

    As forças alemãs se posicionaram a 11 quilômetros da cidade. Além disso, em 8 de setembro de 1941, os armazéns da cidade foram destruídos e com eles 3.000 toneladas de farinha e milhares de toneladas de cereais.

    Contudo, os habitantes não se renderam e conseguiram aguentar quase dois anos e meio de cerco, embora com grandes perdas.

    Em 18 de janeiro de 1943, o Exército soviético conseguiu romper o cerco de Leningrado e impedir o avanço das tropas alemãs.

    Mais:

    China: EUA devem abandonar mentalidade da Guerra Fria
    Moscou: nova Estratégia de Defesa dos EUA revive corrida armamentista da Guerra Fria
    Tags:
    Oscar, Segunda Guerra Mundial, Grande Guerra Pela Pátria, Leningrado, Alemanha, União Soviética, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar