14:39 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Unidade de elite antiterrorista Alfa do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB)

    FSB neutraliza célula terrorista no sul da Rússia

    CC BY-SA 3.0 / SpetsnazAlpha
    Rússia
    URL curta
    1110
    Nos siga no

    O Serviço Federal de Segurança russo desmantelou uma célula terrorista controlada a partir da Síria que coletava e enviava dinheiro à organização terrorista Daesh.

    Em particular, o FSB deteve três pessoas na região de Krasnodar e nas repúblicas russas de Adigueia e do Daguestão, ao realizarem operações financeiras por ordem do Daesh (organização terrorista proibida em vários países, incluindo na Rússia).

    Segundo comunica o Centro de Imprensa do FSB, os agentes desmantelaram uma "organização de caridade" que, na verdade, era composta por radicais. Sua atividade era controlada pelo Daesh desde o território da República Árabe da Síria.

    Destaca-se que os radicais coletavam dinheiro para depois enviá-lo à Síria e garantir o financiamento do Daesh.

    No decurso da operação foram estabelecidos o esquema e o mecanismo de financiamento de membros da organização terrorista no valor total de 10 milhões rublos (R$ 566,3 mil).

    "Com base nos resultados da atividade operacional do FSB, foram iniciados três processos penais […] por 'apoio à atividade terrorista'", diz-se no comunicado da entidade.

    Ao mesmo tempo, representantes da entidade indicaram que, segundo a legislação russa, a responsabilidade por apoio ao terrorismo não depende da soma coletada.

    Mais:

    MRE russo: EUA tentam esconder informação real sobre quem patrocina Daesh no Afeganistão
    Daily Mail revela plano de terroristas do Daesh para assassinar Kate Middleton
    Pompeo: tropas dos EUA serão retiradas da Síria, mas continuarão combatendo Daesh
    Pompeo faz visita surpresa ao Iraque para discutir Daesh
    Tags:
    células terroristas, abastecimento, dinheiro, terrorismo, Daesh, Serviço Federal de Segurança (FSB), Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar