01:36 23 Janeiro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro Tu-160 depois de pousar no Aeroporto Internacional Simón Bolívar, na Venezuela

    Embaixador: Moscou não descarta novos voos de aviões russos à Venezuela

    © AFP 2018 / Federico Parra
    Rússia
    URL curta
    6181

    O embaixador da Rússia na Venezuela, Vladimir Zaemsky, não descartou novos voos de aviões russos ao país sul-americano.

    Em dezembro, dois bombardeiros estratégicos Tu-160, um avião de transporte militar An-124 e uma aeronave Il-62 da Força Aeroespacial da Rússia pousaram no aeroporto internacional nos arredores de Caracas.

    Foram realizados voos conjuntos com a Força Aérea venezuelana e depois voltaram à base permanente na Rússia.

    "Durante a cooperação russo-venezuelana nesta direção, sem dúvida, não excluímos tais eventos no futuro de acordo com todas as normas internacionais como antes", declarou à Sputnik Zaemsky.

    Segundo ele, o "alvoroço" por causa dos aviões russos Tu-160, foi causado, especialmente, entre os opositores ao governo venezuelano tanto na região como nos EUA.

    O embaixador ressaltou que quaisquer preocupações quanto aos voos conjuntos foram inapropriadas devido ao "caráter aberto desse evento e não houve nada de extraordinário nisso, considerando que os aviões russos análogos já voaram a este país, como, por exemplo, em 2008 e 2013".

    Ele relembrou as palavras do ministro da Defesa venezuelano, Vladimir Padrino López, que declarou que "ninguém na região latino-americana e caribenha deve se preocupar com equipamentos militares russos", porque a Venezuela visa "paz em vez de guerra, mas está pronta a repelir qualquer possível agressão exterior".

    Zaemsky salientou que o caráter alarmante presenciado foi causado por alguém que "não deseja a futura cooperação entre a Rússia e a Venezuela".

    O embaixador acrescentou que, além do secretário de Estados dos EUA, Mike Pompeo, a preocupação em relação aos voos foi expressa também por Luis Almagro, secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, que declarou haver possivelmente armas nucleares nos aviões russos que chegaram à Venezuela.

    No entanto, como observou o embaixador, essas declarações nunca foram levadas a sério. 

    "A Agência Para a Proibição de Armas Nucleares na América Latina oficialmente questionou a autenticidade dessa informação, indicando que não há informações sobre a violação do Tratado de Tlatelolco sobre a zona não nuclear regional", concluiu.

    Mais:

    Maduro: Venezuela é alvo de ameaças imperialistas
    Venezuela se despede dos aviões russos (VÍDEO)
    Entrega de S-300 da Rússia aumentou capacidade da Síria de repelir ataques, diz senador
    Tags:
    cooperação, voos, avião de transporte, bombardeiro estratégico, IL-62, An-124, Tu-160, Força Aeroespacial da Rússia, Vladimir Padrino López, Luis Almagro, Mike Pompeo, Caracas, Venezuela, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik