17:45 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Vista da janela do avião da cidade de Sevastopol, localizada na península da Crimeia (Rússia)

    ONU aprova resolução da Ucrânia sobre suposta violação dos direitos humanos na Crimeia

    © Sputnik / Vitaliy Belousov
    Rússia
    URL curta
    16222
    Nos siga no

    A Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução proposta pela Ucrânia sobre suposta violação dos direitos humanos na península russa da Crimeia.

    O documento recebeu votos positivos de 65 países, contra 27, que se opuseram. A maioria, no entanto — 70 países — se absteve.

    Ao mesmo tempo, a representação russa junto à organização, informou que o Quinto Comitê da ONU (Assuntos Administrativos e Orçamento) se recusou a alocar fundos para implementar essa resolução.

    Segundo um representante russo na ONU, a resolução aprovada "é antirrussa e falsa".

    "A Crimeia é um lugar onde as pessoas vivem felizes. Convidamos todos a visitar [a península] e perguntarem aos ucranianos que descansam lá se seus direitos estão sendo violados", disse o representante.

    O diplomata ressaltou que "a Federação Russa garante a proteção dos direitos e liberdades em todo o seu território, incluindo a Crimeia".

    Crimeia tornou-se parte da Rússia depois de realizar um plebiscito, em março de 2014, no qual 96,77% dos eleitores da República da Crimeia e 95,6% da população da cidade de Sevastopol votaram pela adesão à Russia

    A Ucrânia considera a Crimeia como um território sob ocupação temporária.

    O governo russo declarou, repetidas vezes, que os habitantes da Crimeia, democraticamente e em total conformidade com o direito internacional e a Carta Magna das Nações Unidas, votaram a favor da reunificação com a Rússia.

    Segundo o presidente russo, Vladimir Putin, a questão da Crimeia "está definitivamente encerrada".

    Mais:

    Delegação síria confirma visita a Crimeia em abril de 2019
    Sistemas de defesa antiaérea russos S-400 mostram suas capacidades na Crimeia
    Analista político explica por que não pode haver armas nucleares na Crimeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar