06:11 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados dos EUA perto do complexo antimíssil Patriot na Polônia, arquivo

    Mídia: Rússia usaria base americana na Polônia para aumentar seu poder militar

    © AP Photo / Czarek Sokolowski
    Rússia
    URL curta
    7304

    A construção da base militar norte-americana Forte Trump, na Polônia, corresponde aos interesses da Rússia, escreve o jornal The Times, adicionando que tal desenvolvimento da situação permitirá a Moscou oferecer resistência ao Ocidente em dois flancos e, assim, dificultar a posição da OTAN.

    Por maior que seja o desejo da Polônia de atrair a atenção dos EUA e o do presidente norte-americano, Donald Trump, de ter uma base militar com o nome dele, o Forte Trump não representa nada mais que um erro, tanto político como econômico, escreve o jornalista do The Times, Roger Boyes.

    Na opinião do autor, uma nova base americana na Polônia será benéfica para a Rússia que, caso seja construída, terá todo o direito de acusar a OTAN de alargamento e, consequentemente, terá um pretexto para aumentar a sua já impressionante guarnição militar em Kaliningrado (enclave russo entre a Polônia e a Lituânia, na costa do mar Báltico).

    Ademais, a crença russa em que o Ocidente pretende cercá-la contribuirá para que Moscou aumente o orçamento militar, opina o jornalista.

    De acordo com ele, o Forte Trump não salvará os países da OTAN de uma "agressão russa", pois Moscou espera proteger suas fronteiras fazendo o Ocidente escolher os aliados que deve proteger: os da região do mar Báltico ou os da região do mar Negro.

    Na Rússia, escreve o autor, qualquer um sabe que é benéfico obrigar o inimigo a lutar em duas frentes. E neste caso a Rússia encontrou um meio para desafiar a OTAN nos flancos nordeste e sudeste.

    Na opinião dele, o maior confronto entre a Rússia e seus aliados com os países ocidentais pode se desencadear na região do Báltico, visto que os países da região — Estônia, Lituânia e Letônia — estão muito preocupados com a atividade russa.

    Em tais condições, a Aliança Atlântica deve rever a sua estratégia de segurança, acredita Boyes. Em particular, melhorar a manobrabilidade de suas tropas, bem como a infraestrutura militar nos países orientais do bloco.

    Outro desafio à OTAN pode surgir se a Rússia e China juntarem suas forças. Nesse caso, uma base militar na Polônia não terá nenhum sentido para a proteção da Aliança. Portanto, assegura o autor, seria melhor se a OTAN dispendesse esforços para resolver os problemas crônicos, tais como a falta de financiamento militar e as estratégias mal preparadas.

    Mais:

    Secretário de Trump agradece oferta da Polônia para receber base militar dos EUA
    Retomada a construção de base militar dos EUA em Okinawa
    Japão planeja construir base militar perto de territórios disputados com China
    Varsóvia espera por nova base militar dos EUA na Polônia em 2019
    Tags:
    orçamento militar, base militar, poder, OTAN, mar Báltico, Polônia, Ocidente, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik