09:51 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Avião Aero L-39 Albatros durante manobras táticas da aviação marítima russa da Frota do Mar Negro na região de Krasnodar

    'Pequena guerra' à vista? Chefe da Roscosmos explica para que precisa de 10 caças

    © Sputnik / Vitaly Timkiv
    Rússia
    URL curta
    5212

    A Roscosmos, ou seja, a Agência Federal Espacial da Rússia, poderia ganhar uma "pequena guerra", pois dispõe de dez caças, gracejou o chefe da entidade, Dmitry Rogozin, durante uma visita à empresa Rossiyskiye Kosmicheskiye Sistemy (Sistemas Espaciais da Rússia, no original).

    "Caso seja necessário, estamos prontos para ganhar uma pequena guerra", sorriu, respondendo à respectiva pergunta do presidente moldavo Igor Dodon.

    Após ouvir de Rogozin os detalhes sobre o parque de aviões da Roscosmos, onde inclusive há dez caças L-39, o líder moldavo perguntou para que é que servem. Em resposta, o chefe da agência gracejou e depois clarificou que, de fato, as aeronaves são necessárias para treinar os cosmonautas.

    Além disso, as duas personalidades discutiram se os norte-americanos realmente visitaram a Lua em 1969, como asseguram.

    "Colocamos tal objetivo — ir provar se foram […] Eles dizem que foram, nós vamos verificar", afirmou, assinalando que hoje nenhum país no mundo seria capaz de realizar um programa lunar por si mesmo, por isso a Rússia conta com a parceria estadunidense nessa pesquisa.

    O presidente moldavo visitou a empresa para conhecer os mais modernos equipamentos e tecnologias russos na esfera espacial, especialmente os serviços inteligentes de geoinformação capazes de avaliar o estado dos solos rurais e das culturas semeadas e efetuar o respetivo monitoramento.

    Mais:

    Parceria Rússia-EUA no espaço está mais forte do que nunca, diz diretor da NASA
    Analista: maior perigo é implantação de armas a laser no espaço
    Chefe do Pentágono: EUA devem estar prontos para 'passar à ofensiva' no espaço
    Tags:
    caça, espaço, Roscosmos, Dmitry Rogozin, Moldávia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik