09:09 15 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente russo, Vladimir Putin (à esquerda), e o ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy (à direita) durante encontro na residência oficial de Novo-Ogaryovo.

    'A Rússia tornou-se novamente uma nação poderosa', diz Nicolas Sarkozy

    © Sputnik / Aleksey Nikolskyi
    Rússia
    URL curta
    5291

    O ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, que fez uma visita repentina a Moscou, elegiou a Rússia, nesta quinta-feira (22), e disse que sempre se considerou amigo do presidente russo, Vladimir Putin.

    "Vocês, os russos, estão morando aqui e não podem sequer imaginar quão grande é o seu prestígio e como sua imagem mudou no cenário global. A Rússia tornou-se novamente uma nação poderosa, a Rússia sabe seu lugar na arena internacional e conhece seu destino", afirmou o ex-presidente francês.

    "Por fim, gostaria de dizer que sempre fui amigo de Vladimir Putin, porque ele é uma pessoa com quem você pode conversar mesmo diante de desentendimentos", disse Sarkozy em uma recepção de pré-ano novo do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF, na sigla em inglês).

    Ele também expressou esperança, dirigindo-se ao CEO da RDIF, Kirill Dmitriev, de que ele seria convidado para o evento da RDIF no próximo ano.

    "Kirill Dmitriev, você está me recebendo aqui pela primeira vez. No ano que vem, torço para você também me convide", afirmou Sarkozy.

    Sarkozy ocupou o foi presidente francês entre 2007 e 2012. Após o término de seu mandato, ele continuou na vida política e chegou a concorrer nas eleições presidenciais de 2017 no país, mas foi derrotado ainda nas primárias.

    Mais:

    Putin pede que empresas militares russas reduzam ciclo de produção de mísseis
    Ainda mais avançado: Putin comenta ritmo de rearmamento da Rússia
    'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin
    Blogueira e interlocutora de Putin: conheça a jovem mais sexy da Rússia (FOTOS)
    Tags:
    relações diplomáticas, RDIF, Vladimir Putin, Nicolas Sarkozy, Moscou, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik