11:38 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Paraquedistas do exército francês patrulham a área perto da Torre Eiffel em Paris

    Rússia adverte para 'ilusão' sobre avanço da ideia de Macron sobre exército europeu

    © REUTERS / PHILIPPE WOJAZER
    Rússia
    URL curta
    3271

    A Rússia acredita que a explicação oferecida pelos países europeus para aumentar os gastos militares com a necessidade de coibir algum "agressor potencial ilusório" é exagerada, informou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia neste sábado.

    O presidente da França, Emmanuel Macron, disse em 6 de novembro que a União Europeia (UE) deveria ter um "verdadeiro exército europeu" independente dos Estados Unidos para poder se defender. Além disso, ele observou que o bloco deve se defender contra a China, a Rússia e até mesmo os Estados Unidos. A chanceler alemã Angela Merkel também apoiou a ideia de criar um exército europeu.

    "Consideramos igualmente forçado tentar encontrar um 'inimigo externo' e, agarrando-se a falsos paralelos históricos, para justificar a acumulação de gastos militares pela oposição a um 'agressor potencial' ilusório", disse o ministério russo.

    A pasta chamou a atenção para as tentativas de "traçar mais do que duvidosas paralelas" entre a situação atual na Europa e os períodos anteriores às duas guerras mundiais, segundo as quais a ascensão do nacionalismo foi um catalisador para os conflitos.

    "Nesse sentido, somos forçados a lembrar que a Primeira Guerra Mundial foi o resultado do desejo das grandes potências da época de estabelecer a hegemonia europeia e global, redistribuir as esferas de influência e de não apoiar a soberania do Estado", pontuou.

    É inaceitável colocar um sinal de igualdade entre a proteção dos interesses nacionais e do nacionalismo, entre a luta pelo direito de preservar a identidade, a lealdade aos valores tradicionais e à guerra, concluiu o ministério.

    Mais:

    Não me chamem: Áustria descarta integrar exército europeu de Macron e Merkel
    Macron sobre relações com EUA: 'Ser aliado não significa ser vassalo'
    Macron quer 'exército europeu' para compartilhar armas nucleares com Merkel, diz Le Pen
    Tags:
    exército, segurança, defesa, guerra, Ministério de Relações Exteriores da Rússia, União Europeia, Angela Merkel, Emmanuel Macron, China, Estados Unidos, Alemanha, França, Europa, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik