16:55 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Um policial numa rua de Grozny, Chechênia, Rússia

    Mulher-bomba se detona ao tentar atacar policiais na cidade de Grozny, Chechênia

    © Sputnik / Said Tsarnaev
    Rússia
    URL curta
    214

    Hoje (17), o Ministério do Interior da república russa comunicou que a explosão ocorreu perto de um posto de controle da polícia, mas não causou quaisquer danos nem entre os policiais nem entre os civis.

    As informações foram comunicadas aos jornalistas pelo ministro do Interior interino da República da Chechênia, general da polícia Apti Alaudinov.

    "Nos arredores de Grozny, uma mulher jovem não identificada se fez explodir", disse.

    De acordo com as autoridades, cerca das 16h00 locais (11h00 no horário de Brasília) a jovem se aproximou do posto federal da polícia número 21, situado nos arredores do bairro Staropromyslovsky da capital chechena. Ao reparar em seu estranho comportamento, os policiais pediram-lhe para parar e apresentar os documentos, acrescentou.

    A mulher, por sua vez, recusou cumprir a exigência e se lançou na direção do posto. Naquele momento, os policiais viram um explosivo caseiro fixado no corpo dela e efetuaram um tiro de advertência. Entretanto, a jovem detonou os explosivos. Já que ela não conseguiu se aproximar muito perto do posto, a detonação não causou outras vítimas.

    Atualmente, estão sendo tomadas as medidas para identificar a mulher e buscar seus possíveis cúmplices.

    O ministério assegura que o incidente não afetou a situação na cidade: os transportes e os estabelecimentos comerciais continuam funcionando como habitualmente.

    Mais:

    Daesh reivindica ataques contra políciais na Chechênia
    Explosão de carro no sudeste de Tel-Aviv mata 2 homens (VÍDEO)
    Explosão atinge edifício do Serviço Federal de Segurança da Rússia (FOTO, VÍDEO)
    Explosão de carro-bomba em Idlib deixa ao menos 4 mortos e 11 feridos
    Tags:
    atentado, explosão, mulher-bomba, Rússia, Chechênia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik