02:41 17 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Carros passando pela Ponte da Crimeia

    Superando tormentas: ponte da Crimeia está mais perto da sua conclusão final

    © Sputnik / Aleksei Malgavko
    Rússia
    URL curta
    4180

    A construção dos pilares da parte ferroviária da ponte da Crimeia está concluída, informou um representante da empresa de construção russa Stroigazmontazh.

    A parte destinada ao tráfego de veículos já fora inaugurada em 15 de maio deste ano. No sábado (10), os construtores uniram o arco ferroviário da ponte com o primeiro vão do lado de Kerch através do estreito. A ponte tem no total 595 pilares.

    "É um processo muito complicado, tanto do ponto de vista tecnológico, como por causa das difíceis condições locais: ventos fortes, situação sísmica", comentou o presidente do Conselho de Administração da empresa, Arkady Rotenberg.

    Agora, a ponte já tem todos os pilares prontos, da parte rodoviária e ferroviária. As estacas dos pilares foram instaladas a grande profundidade no mar, até 100 metros em algumas áreas.

    "O solo difícil e tormentas frequentes dificultaram o trabalho, mas conseguimos fazer tudo com qualidade e a tempo", disse Rotenberg, citado pela televisão russa.

    Todas as seções do tabuleiro da parte ferroviária da ponte devem ser instaladas no primeiro trimestre de 2019.

    A inauguração da pista rodoviária da ponte sobre o estreito de Kerch ocorreu em maio deste ano, contando com a presença do presidente russo, Vladimir Putin. Já a inauguração destinada ao tráfego ferroviário está prevista para dezembro de 2019.

    A Ponte da Crimeia através do estreito de Kerch, que liga a península da Crimeia à região russa de Krasnodar, é a mais extensa da Rússia, tendo um comprimento de 19 quilômetros.

    Mais:

    Embaixada russa nos EUA dá 'empurrão' em americanos para que visitem resorts da Crimeia
    Povoado antigo único é descoberto na Crimeia (FOTO)
    Tags:
    arco ferroviário, pilar, construção, Ponte da Crimeia, Krasnodar, Estreito de Kerch, Crimeia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik