09:23 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Veículo militar levando o míssil chinês DF-21D

    Assessor de Trump avisa que mísseis chineses ameaçam 'coração da Rússia'

    © AFP 2018 / Greg Baker
    Rússia
    URL curta
    Provável saída dos EUA do Tratado INF (23)
    33745

    Os EUA pretendem discutir com a Rússia o perigo que o desenvolvimento técnico-militar da China pode trazer, considerando-o uma ameaça séria para Moscou.

    O assessor de segurança nacional dos EUA, John Bolton, assegurou que Washington quer realizar conversações com Moscou sobre a atividade militar da China.

    As declarações foram feitas durante a sua visita oficial a Tbilisi, capital de Geórgia.

    Nas suas palavras, citadas pela agência Reuters, os mísseis chineses representam uma ameaça para Moscou, pois o "coração da Rússia" encontra-se na zona de seu alcance.

    Ao mesmo tempo, o assessor do mandatário norte-americano comentou a retirada dos EUA do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), chamando o documento de 'relíquia da Guerra Fria'.

    Em 20 de outubro, Donald Trump declarou a intenção dos EUA de se retirarem do Tratado INF, explicando-a com alegadas violações da parte russa das condições do tratado.

    O tratado foi assinado em 1987 pelo ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev, e pelo então presidente norte-americano, Ronald Reagan, que concordaram em destruir todos os mísseis balísticos terrestres e de cruzeiro, nucleares ou convencionais, cujo alcance estivesse entre 500 e 5.500 km.

    Tema:
    Provável saída dos EUA do Tratado INF (23)

    Mais:

    Ex-líder da URSS sobre saída dos EUA do INF: 'Foi declarada nova corrida armamentista'
    Tratado INF impede EUA de terem supremacia sobre China no oeste do Pacífico?
    Rússia pode reaver presença militar nas Américas caso Trump saia do Tratado INF?
    Tags:
    mísseis intercontinentais, avanço, ameaça militar, acordo, Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, John Bolton, Donald Trump, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik