01:09 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Colégio politécnico em Kerch, onde ocorreu a explosão

    Explosão em colégio na Crimeia causa ao menos 10 mortes e 50 feridos (FOTO, VÍDEOS)

    © Sputnik / Maria Kritskaya
    Rússia
    URL curta
    4546

    Na cidade de Kerch, situada na península russa da Crimeia, uma explosão de gás em um colégio técnico teria provocado a morte de ao menos 10 pessoas, deixando outras 50 feridas, comunicou à Sputnik um representante dos serviços de emergência da república. Mais tarde, o número de mortes subiu para 21.

    De acordo com testemunhas, a explosão teria ocorrido na cantina do colégio.

    Uma testemunha da explosão disse se tratar de detonação e não de gás.

    "Eu estava indo por perto e ouvi uma explosão. Eu parei e vi muita gente perto do colégio […] Não havia mais a entrada central, foi destruída, no primeiro andar não havia janelas. Agora há rumores sobre os motivos, que se tratou de atentado terrorista ou explosão de gás. Há um monte de evidências de que não houve gás, foi detonação", afirmou a testemunha à Sputnik.

    No momento, perto do colégio se encontram militares e veículos blindados.

    ​Os médicos do Hospital №1 da cidade de Kerch, para onde os feridos estão sendo transportados, relatam um elevado número de vítimas.

    "São muitas pessoas. 18 pessoas [já estão no hospital], e ainda disseram que haverá mais 50. Nas zonas de traumatologia e de operação há muitas pessoas", comunicou uma médica.​

    Médicos estimam o estado dos feridos, que no momento se encontram no hospital, como moderadamente severo.

    De acordo com declaração posterior do Comitê Nacional Antiterrorismo, um dispositivo não identificado pode ter causado a explosão na Crimeia.

    "Em Kerch ocorreu uma explosão de um dispositivo não identificado", lê-se na declaração do comitê.

    O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, comentou a explosão.

    "O presidente recebeu informações de diferentes departamentos, sim", respondeu Peskov quando perguntado se Vladimir Putin está ciente do incidente, detalhando que a versão de atentado terrorista está sendo considerada.

    Ele acrescentou que o presidente da Rússia mandou assegurar o transporte urgente das pessoas que estão gravemente feridas para os melhores hospitais russos.

    O Comitê de Investigações russo abriu um processo penal após a ocorrência.

    "O presidente do Comitê de Investigações russo mandou abrir um processo penal e enviou ao local do incidente investigadores e criminalistas de Moscou", comunicou a jornalistas a representante oficial do comitê, Svetlana Petrenko.

    Posteriormente, o comitê afirmou que na cantina do colégio detonou um dispositivo explosivo recheado com objetos metálicos, qualificando o ato como atentado terrorista.

    Mais tarde, o Comitê de Investigações afirmou que, ao examinar os cadáveres, foram estabelecidas evidências de se tratar de disparos.

    O cadáver do autor do atentado foi encontrado, também com vestígios de disparos.

    O comitê estabeleceu também a identidade do autor. De acordo com ele, trata-se de um rapaz de 18 anos de idade, estudante do quarto ano.

    Na Internet surgiram imagens do provável atirador, capturadas pelas câmeras do colégio.

    ​​Em conexão com novos dados, o comitê abriu outro processo penal, sobre o assassinato de duas e mais pessoas por um método comumente perigoso.

    A investigação informou que no momento está procurando prováveis organizadores e autores da explosão do colégio, já que o rapaz podia ter cúmplices.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik