17:14 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Soldados russos ensaiam desfile dedicado aos 76 anos da parada militar de 1941 na Praça Vermelha, em 31 de outubro de 2017

    Demonização da Rússia da época da Guerra Fria está de volta, diz ativista da paz

    © Sputnik / Ilya Pitalev
    Rússia
    URL curta
    14131

    A atual propaganda antirrussa divulgada pela grande mídia lembra a história da Guerra Fria, além disso, essa histeria virou base da nova política externa americana em relação à Rússia e tem causado um sério prejuízo aos interesses americanos.

    A mídia de hoje está focada em promover "o temor desconhecido", o que coincide com ações passadas, relacionadas à história da Guerra Fria, quando faziam de tudo para incitar iminente e inevitável "invasão aos países ocidentais" pelos soviéticos, fazendo com que os governos ocidentais formassem "uma frente comum contra o mal desconhecido", opinou Maguire, ativista britânica que ganhou o Prêmio Nobel da Paz de 1976, para a mídia Counter Punch.

    Apesar de ser caro manter uma força militar e mesmo muitos países europeus se recusando a elevar gastos com defesa, o dinheiro investido no reforço bélico precisa ser justificado para a população, daí entra a invenção de um inimigo para explicar a necessidade de proteger a liberdade de seu país, destaca a ativista, ressaltando ser preciso considerar a mudança na balança do poder financeiro das potências ocidentais em relação aos crescentes centros na Ásia e no Oriente Médio.

    "Os velhos impérios decadentes defenderão com unhas e dentes seus interesses financeiros, como o petrodólar e muitos outros benefícios que possuem graças ao domínio sobre os países pobres", afirmou Maguire, chamando atenção para as ações dos EUA e da OTAN de criação de bases na Europa e de aumento da presença militar nos mares europeus e asiáticos, que pressupõem aumento de gastos com defesa.

    As mentiras e a desinformação de hoje têm levado às "intervenções humanitárias" da OTAN, que se justificam através do "direito de se proteger", destruindo a vida de milhões de pessoas, ressalta a ativista, citando que "as pessoas não devem ser enganadas novamente. A aplicação de políticas de demonização para lançar invasões e iniciar guerras deve ser parada imediatamente. […] O isolamento e a marginalização dos países apenas incitam o extremismo, o fundamentalismo e a violência".

    Para Maguire, essa histeria contra a Rússia é uma das coisas mais perigosas do mundo, sendo "um imperdoável jogo do Ocidente", que pode levar o planeta a uma catástrofe. A ganhadora do Prêmio Nobel da Paz acredita a histeria deve ser substituída pelo reestabelecimento de "boas relações com os russos".

    Mais:

    'Sempre precisam de inimigo': por que presença chinesa na África causa histeria americana?
    Ex-funcionário do Departamento de Estado: 'histeria antirrussa' sabotou a agenda de Trump
    EUA sancionam 33 pessoas e entidades ligadas à inteligência e defesa da Rússia
    Tags:
    Nobel da Paz, ativista, americanos, Guerra Fria, histeria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik