09:30 19 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Logo da empresa Google

    Google é advertido sobre interferência em eleições na Rússia

    © REUTERS / Dado Ruvic
    Rússia
    URL curta
    131

    O Ministério Público da Rússia alertou a empresa norte-americana Google de que não tolerará qualquer interferência nas eleições regionais, que serão realizadas no país no dia 9 de setembro.

    "O Escritório Central do Ministério Público de Moscou alertou que é inadmissível violar a lei eleitoral", afirmou Aleksei Zhafyarov, vice-diretor do departamento de supervisão do Ministério Público.

    O funcionário acrescentou que espera que o Google leve o aviso em consideração.

    "É uma medida muito séria, o próximo passo é pedir responsabilidades de acordo com a lei", sublinhou Zhafyarov.

    A Comissão Eleitoral Central (CEC) também enviou uma carta à empresa norte-americana devido à divulgação de chamadas para manifestações em massa no dia da votação.

    O serviço de monitoramento no âmbito das comunicações (Roskomnadzor) notificou ao Google que a empresa não pode oferecer suas plataformas para a divulgação de atividades ilícitas no dia do voto.

    Segundo o vice-diretor da agência, Vadim Subbotin, dezenas de canais especializados no YouTube "estão realizando campanhas em massa" conclamando para violar as leis russas.

    Ele ressaltou que algumas pessoas tentam atrair usuários para participar de atos ilegais e usam para isso as possibilidades quase ilimitadas proporcionadas por empresas estrangeiras de Internet como o Google.

    "Alertamos empresas estrangeiras, incluindo Google, que é inaceitável permitir o uso de seus serviços para realizar atos ilegais em território russo", salientou.

    Mais:

    Putin e Trump juntos em Paris? Kremlin fala de possível cúpula entre os presidentes
    Casa Branca usa tecnologia russa para manter contato com Kremlin
    Assessor do Kremlin diz que Putin e Trump discutiram realização de um referendo em Donbass
    Tags:
    eleições, interferência, Google, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik