02:04 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Ação de apoio ao jornalista Kirill Vyshinsky perto da embaixada da Ucrânia em Moscou

    Kiev está pronta para trocar Kirill Vyshinsky e outros 12 por ucranianos presos na Rússia

    © Sputnik / Anton Denisov
    Rússia
    URL curta
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (23)
    117

    A Ucrânia está pronta para transferir 13 pessoas, incluindo o chefe do portal RIA Novosti Ucrânia Kirill Vyshinsky, para a Rússia em troca da libertação de prisioneiros ucranianos, disse a primeira vice-presidente do Parlamento ucraniano, Iryna Herashchenko.

    "Kiev é pronta para transferir 13 pessoas para a Rússia em troca da libertação de prisioneiros políticos ucranianos", disse Herashchenko a repórteres, conforme citado pela agência de notícias UNN.

    Ela disse que as 13 pessoas, que devem ser visitados pela Alta Comissária Russa para os Direitos Humanos, Tatiana Moskalkova, durante sua viagem à Ucrânia tinham cidadania russa ou dupla cidadania.

    As autoridades ucranianas realizaram recentemente uma série de ações hostis contra jornalistas e meios de comunicação russos. Um dos casos mais notáveis ​​aconteceu em maio, quando o Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) invadiu o escritório da RIA Novosti Ucrânia em Kiev e deteve o chefe da agência, Kirill Vyshinsky por suspeita de traição e  apoio às autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk.

    Em 17 de maio, um tribunal na cidade ucraniana de Kherson determinou que Vyshinsky fosse preso e detido por 60 dias sem fiança.

    O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a prisão de Vyshinsky foi politicamente motivada e que o incidente demonstrou uma política inaceitável de autoridades ucranianas que visam jornalistas.

    Tema:
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (23)
    Tags:
    UNN, Parlamento da Ucrânia, RIA Novosti, Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), Tatiana Moskalkova, Iryna Herashchenko, Kirill Vyshinsky, República Popular de Luhansk, Kiev, Donetsk
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik