16:57 23 Junho 2018
Ouvir Rádio
    A chanceler alemã Angela Merkel e o presidente da Rússia Vladimir Putin

    'Sem chance': Merkel rechaça chances da Rússia voltar ao G8

    © Sputnik / Alexey Filippov
    Rússia
    URL curta
    839

    A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou nesta quarta-feira (6) que no momento não existem chances da Rússia voltar a fazer parte do formato G8.

    De acordo com ela, Moscou viola as normas do direito internacional, enquanto outros membros do grupo das principais potências tentam respeitá-las.

    "A anexação da Crimeia foi uma flagrante violação do direito internacional, de modo que a exclusão da Rússia do formato do G8 era inevitável", disse a chanceler, citada pelo jornal alemão Bild.

    Ao mesmo tempo, Merkel ressaltou que o contato constante entre Moscou e Berlim, assim como a interação na linha do G7, vem sendo mantida.

    As autoridades alemãs têm distudo periodicamente a possibilidade de retorno da Rússia ao formato do G8. Em abril, o ministro das Relações Exteriores do país, Heiko Maas, classificou esse cenário como "irreal". Mais tarde, a deputada do parlamento alemão, Sarah Wagenkneht, pediu que Moscou se juntasse ao G7 como um contrapeso aos Estados Unidos.

    Em 2014, após a reintegração da Crimeia à Federação Russa, os membros do G8 tomaram a decisão de não participar da anual cúpula em Sochi, optando por realizar o evento em Bruxelas sem a participação da Rússia. Assim, o G8 ficou reduzido ao G7. Moscou repetidamente afirmou que não vai tomar nenhuma atitude para regressar ao G8. 

    Mais:

    Quanto vale a amizade? Novas sanções dos EUA contra Rússia custarão bilhões para Alemanha
    Skripal: Alemanha e França pedem provas e rejeitam sanções do Reino Unido sobre a Rússia
    Rússia exige que Alemanha especifique que acordos sobre armas Moscou teria violado
    Alemanha e França condenam ataques contra Embaixada da Rússia na Síria
    Tags:
    sanções, G7, G8, Angela Merkel, Vladimir Putin, Crimeia, Rússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik