09:51 26 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Maquete de míssil nuclear Minuteman III usado para treinamento de equipes de manutenção de mísseis é visto na base da Força Aérea F. E. Warren, Wyo. ( foto de arquivo)

    Rússia quer restaurar a cooperação em energia nuclear com os EUA

    © AP Photo / Robert Burns
    Rússia
    URL curta
    120

    A Rússia ainda está interessada em cooperação em energia nuclear com os Estados Unidos, disse o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, em uma reunião com Ernest Moniz, ex-secretário de Energia dos EUA.

    "Durante seu mandato como secretário de Energia dos EUA, a Rússia e os EUA assinaram o chamado Acordo de Cooperação no Campo de Usos Pacíficos de Energia Nuclear", afirmou Lavrov na reunião com Moniz, que serviu durante o governo do presidente Barack Obama.

    "Infelizmente, desde então, por razões além do nosso controle, este acordo e contatos foram congelados", acrescentou.

    Moniz agora trabalha como diretor executivo da Iniciativa de Ameaça Nuclear, uma organização que trabalha para evitar ataques catastróficos com armas de destruição em massa.

    O acordo foi assinado pelos presidentes Barack Obama e Dmitry Medvedev e entrou em vigor em 2011.

    O documento oferece a oportunidade para a cooperação de laboratórios nucleares norte-americanos e russos, cooperação tecnológica e projetos conjuntos de negócios.

    O acordo também é importante para a segurança global, pois promove a cooperação no campo da ciência forense nuclear e a prevenção do terrorismo nuclear.

    Mais:

    Correndo atrás: EUA modernizam arsenal nuclear para alcançar Rússia e China
    EUA querem desvalorizar o potencial nuclear da Rússia, diz Lavrov
    Aproximando Irã, Rússia e China: saída dos EUA do acordo nuclear cria uma nova aliança
    Tags:
    relações bilaterais, diplomacia, energia nuclear, cooperação, Iniciativa de Ameaça Nuclear, Barack Obama, Dmitry Medvedev, Ernest Moniz, Sergei Lavrov, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik