05:44 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O presidente chinês Xi Jinping e o presidente russo Vladimir Putin durante a cerimônia de assinatura de documentos em Kremlin, Moscou, 8 maio de 2015

    Diplomata russo chama Moscou e Pequim de estabilizadores geopolíticos

    © AFP 2018 / KIRILL KUDRYAVTSEV
    Rússia
    URL curta
    680

    Estabilidade regional e global é de interesse da Rússia e da China, uma vez que oferece novas oportunidades para o desenvolvimento e cooperação, disse na terça-feira (29) em Pequim, o ex-ministro das Relações Exteriores e atual presidente do Conselho Russo de Assuntos Internacionais (RIAC, na sigla em inglês), Igor Ivanov.

    "Rússia e China podem desempenhar apenas papel estabilizador, sabemos que agora em muitas regiões há uma grande quantidade de problemas, praticamente não existem regiões sem problemas. É importante que a Rússia e a China reajam juntas como dois membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, como dois Estados amigos interessados na estabilidade", afirmou Ivanov a repórteres às margens da conferência internacional em Pequim "Rússia e China: Cooperação na Nova Era".

    Segundo ele, "Rússia e China não ameaçam ninguém e não desestabilizam situação em nenhuma região. A nossa interação é precisamente destinada à estabilização, porque a estabilidade regional e internacional atende aos nossos interesses, ela nos dá mais oportunidades para a cooperação".

    A tradicional conferência anual, realizada pela primeira vez na capital chinesa, é parte integrante do diálogo sino-russo. Agora, os dois Estados enfrentam tarefas importantes para preencher a parceria estratégica com projetos concretos e desenvolver parcerias política, comercial, econômica, financeira e de investimentos para um nível qualitativamente novo.

    Mais:

    Mídia: EUA pressionam China a comprar petróleo e gás para encerrar guerra comercial
    Duterte 'entrará em guerra' se China cruzar 'linhas vermelhas', diz secretário filipino
    Especialista: ações de Washington no mar do Sul da China são provocação e desafio a Pequim
    Analistas americanos comparam potencial de armas hipersônicas da Rússia, China e EUA
    Tags:
    estabilidade estratégica, estabilidade política, cooperação estratégica, conferência, geopolítica, parceria, Conselho de Segurança da ONU, Xi Jinping, Vladimir Putin, Pequim, China, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik