16:31 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema de lanzamiento vertical MK-41

    Rússia criará novos sistemas de guerra eletrônica com dados de mísseis capturados dos EUA

    CC0 / US Navy / Leah Stiles
    Rússia
    URL curta
    6320

    A Rússia criará novos sistemas de guerra eletrônica com base nos dados obtidos durante o estudo dos mísseis de cruzeiro Tomahawk dos EUA que foram derrubados na Síria. A informação foi divulgada pelo conselheiro primeiro diretor geral do Consórcio Russo de Tecnologias Radioeletrônicas, Vladimir Mikheev, em entrevista à Sputnik.

    Os militares sírios encontraram dois mísseis Tomahawk não detonados após um ataque maciço de mísseis contra a Síria por parte dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França em 14 de abril. Os mísseis foram entregues à Rússia.

    "Com base nessa experiência [o ataque de mísseis da coalizão ocidental na Síria], as tarefas técnicas para novos trabalhos estão sendo preparadas agora. Elas levarão em consideração todas as informações obtidas para nos ajudar a construir protótipos de novos sistemas de guerra eletrônica", disse Mikheev.

    "Com este míssil em mãos, podemos entender claramente quais canais de comunicação, informação e controle, navegação e alcance eles têm. E, conhecendo todos esses parâmetros, seremos capazes de combater mais eficazmente esses mísseis de cruzeiro em todas as etapas do seu desdobramento de combate", enfatizou.

    Ao falar sobre o cronograma para o desenvolvimento dos novos sistemas, Mikheev observou que, de acordo com as exigências do Estado enquanto cliente, um ciclo de desenvolvimento completo dos sistemas de guerra eletrônica leva cerca de 2 a 3 anos e esses protótipos não serão uma exceção.

    Mais:

    Estes são principais meios de guerra eletrônica russos escrutinados pelo Ocidente (FOTOS)
    Mídia: Rússia supera EUA em desenvolvimento de meios de guerra eletrônica
    Para especialista, Moscou ganharia qualquer guerra eletrônica com Ocidente
    Tags:
    mísseis, guerra eletrônica, Tomahawk, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik