11:35 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Míssil balístico intercontinental RS-24 Yars durante a 72ª Parada da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou

    3 grupos estratégicos russos foram reequipados com sistemas de mísseis Yars

    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    Rússia
    URL curta
    0 130

    Três unidades da Força Estratégica de Mísseis da Federação da Rússia começaram a utilizar complexos de mísseis balísticos intercontinentais russos Yars.

    Atualmente, está sendo realizado o processo de rearmamento de outras três unidades estratégicas.

    "Concluímos o rearmamento de unidades de mísseis [situadas] na região de Teykovo, de Tagil e de Novossibirsk com sistemas de mísseis móveis terrestres Yars", comentou o chefe da Força Estratégica de Mísseis russa, comandante Sergei Karakayev, ao jornal russo Krasnaya Zvezda.

    Anteriormente, Karakayev declarou que "implementação dos planos de 2017 para o rearmamento de formações e unidades dos mísseis estratégicos permitiu aumentar a quota de amostras modernas de armas de mísseis para 66%".

    Além disso, ele anunciou que no momento está em curso o processo de rearmamento de outras três unidades de mísseis na região de Irkutsk, Yoshkar-Ola e Kozelsk.

    A Rússia está modernizando ativamente seus armamentos e equipamentos militares. Segundo o Ministério da Defesa da Rússia, está previsto gastar 20 trilhões de rublos (US$ 352,3 bilhões) no programa armamentista que corresponde anos entre 2018 e 2027.

    Mais:

    Forças russas realizam manobras com sistemas de mísseis Topol e Yars (VÍDEO)
    Para construtor dos sistemas Topol-M e Yars, não existe defesa contra mísseis russos
    Tropas de mísseis estratégicos russos aumentam capacidade para a dissuasão nuclear
    Caça russo Su-57 testa novos mísseis de cruzeiro na Síria
    Tags:
    Yars, mísseis balísticos intercontinentais, unidade, equipamento militar, rearmamento, investimento, estratégia, armamentos, Ministério da Defesa (Rússia), Sergei Karakayev, Novosibirsk, Irkutsk, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik