21:44 22 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    O jornalista Kirill Vyshinsky, diretor da agência estatal russa de notícias RIA Novosti Ucrânia, participa de uma audiência preliminar em Kherson, Ucrânia, em 17 de maio de 2018

    Ucrânia faz reféns para trocar por criminosos, diz ministro da Rússia

    © REUTERS / Stringer
    Rússia
    URL curta
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (25)
    231

    O ministro das Relações Exteriores russo, Grigory Karasin, criticou a proposta do governo ucraniano de trocar o chefe do portal RIA Novosti na Ucrânia, o jornalista Kirill Vyshinsky, pelo cineasta ucraniano Oleg Sentsov, detido na Rússia.

    "Eu não sei nada sobre essa proposta da Ucrânia oficialmente. Kiev não pode se permitir fazer pessoas como reféns para então exigir sua troca por aqueles que são condenados por crimes reais. Isso não é civilizado", disse Karasin.

    No início do dia, o chefe do Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU) Vasily Gritsak disse que Vyshinsky deveria ser trocado pelo cineasta ucraniano Oleg Sentsov, atualmente preso na Rússia.

    O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia já havia dito que a Ucrânia está pronta para considerar todas as opções para que Sentsov seja libertado de uma prisão russa, incluindo sua troca por Vyshinsky.

    O cineasta ucraniano Sentsov foi condenado em agosto de 2015 a 20 anos de prisão por tramar ataques terroristas na Crimeia.

    Kiev tem repetidamente restringido as atividades dos veículos de notícias e jornalistas russos na Ucrânia. Em março de 2015, o governo ucraniano publicou uma lista de 115 meios de comunicação russos que poderiam ser negados ou temporariamente suspensos pelo credenciamento das autoridades ucranianas.

    Em 15 de maio, o Serviço de Segurança da Ucrânia invadiu o escritório da RIA Novosti da Ucrânia, em Kiev e prendeu Vyshinsky sob suspeita de apoiar as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Luhansk.

    Tema:
    Chefe do portal RIA Novosti Ucrânia é preso em Kiev (25)
    Tags:
    Kirill Vyshinsky
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik