07:08 23 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Porta-voz da Duma russa Vyacheslav Volodin

    Sanções dos EUA querem impedir desenvolvimento de nações bem-sucedidas, diz oficial russo

    © Sputnik / Valeriy Melnikov
    Rússia
    URL curta
    11140

    O principal objetivo das sanções dos Estados Unidos é retardar o progresso das nações em rápido desenvolvimento, disse o porta-voz da Duma russa (Parlamento) antes de o parlamento dar seu primeiro aceno a respeito da resposta da Rússia às restrições de Washington.

    "Os EUA estão conduzindo sua política de sanções contra os países que estão se desenvolvendo ativamente. Isso inclui não apenas a Rússia, mas também a China, o Irã e outros países", disse Vyacheslav Volodin nesta terça-feira.

    Ele acrescentou que todas as nações que enfrentam sanções dos EUA estão tomando suas próprias medidas para combater as políticas hostis de Washington e expressaram esperança de que as leis russas, sobre as contra-sanções e a responsabilidade pelo cumprimento dos regulamentos estrangeiros restritivos em território russo, sejam efetivas.

    Volodin também afirmou que as autoridades russas não esperavam o atual nível de pressão política e econômica, já que a Rússia sempre expressou suas opiniões com a máxima correção baseada no respeito mútuo e na não ingerência nos assuntos internos de outros países.

    "As sanções dos EUA são do tipo absolutamente hostil. Elas afetaram mais de 400 empresas russas e cerca de 200 cidadãos do nosso país. Faremos tudo para proteger os interesses do nosso país e garantir a segurança, direitos e liberdades dos nossos cidadãos. As ações foram criadas para resolver essas tarefas", garantiu.

    "[Nestes projetos] estamos concedendo amplos poderes ao nosso presidente [Vladimir Putin] e governo para proteger nosso país, nossa economia e locais de trabalho", emendou.

    Mais tarde, a Duma aprovou em primeira leitura o projeto de lei sobre a resposta às sanções mais recentes introduzidas pelos EUA e seus aliados, em abril, e também o projeto de lei sobre a responsabilidade penal pela imposição de regulamentos restritivos do Ocidente. O primeiro esboço interrompe toda a cooperação com os EUA nas esferas nuclear, de mísseis e de construção de aeronaves.

    A proposta também introduz restrições sobre várias importações dos EUA e permite que empresas russas produzam vários produtos com direitos autorais nos Estados Unidos ou em países aliados aos EUA — sem obter licenças de detentores de direitos autorais.

    O segundo projeto de lei introduz multas vultosas, trabalho penal e sentenças de prisão de até 4 anos para qualquer um cúmplice na condução do trabalho de estados ou organizações estrangeiros na imposição de medidas restritivas à Rússia ou a seus cidadãos.

    Os dois documentos tiveram que ser redigidos separadamente porque, sob os regulamentos parlamentares, os legisladores não podem unir projetos de lei que contenham emendas a códigos civis e criminais.

    Mais:

    Rússia não teme sanções dos EUA por envolvimento com Irã
    EUA compensam fracasso na Síria com mais sanções contra Rússia
    Pesquisa: Quase metade dos russos acredita que as sanções ocidentais permanecerão por anos
    Tags:
    relações bilaterais, diplomacia, economia, comércio, Duma, Vyacheslav Volodin, Vladimir Putin, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik