02:08 16 Fevereiro 2019
Ouvir Rádio
    Escritório da Kaspersky Lab em Moscou.

    Twitter proíbe anúncios da gigante russa de segurança cibernética Kaspersky Lab

    © Sputnik / Kirill Kallinikov
    Rússia
    URL curta
    0 121

    A empresa de antivírus exige uma explicação, afirmando que a medida contradiz a liberdade de expressão. Até agora, a gerência do Twitter afirmou que o modelo de negócios da Kaspersky Lab entra em conflito com suas práticas comerciais aceitáveis e citou um aviso do governo dos EUA, que vê a empresa como uma ameaça à segurança nacional.

    O co-fundador da empresa de segurança cibernética Kaspersky Lab, Eugene Kaspersky, revelou detalhes do recente impasse de sua empresa com o Twitter sobre a proibição de seus anúncios. O empresário insistiu que o Twitter deveria dar uma explicação detalhada da decisão ou admitir que cometeu um erro, dizendo que esta é a única maneira de afastar o medo da censura política.

    O Twitter informou a empresa sobre a proibição de anúncios no final de janeiro. A notificação declarou que a Kaspersky Lab opera usando um modelo de negócios que conflita intrinsecamente com práticas comerciais aceitáveis ​​do Twitter Ads. 

    A proibição seguiu as acusações das autoridades norte-americanas contra a Kaspersky Lab, que representa uma ameaça à segurança nacional devido a seus laços estreitos com a inteligência russa. O software da empresa foi banido por agências do governo dos EUA.

    Empresário quer explicação detalhada

    No recente confronto com o Twitter, Eugene Kaspersky afirmou que sua empresa não viola nenhuma regra escrita ou não escrita; mas apenas vende software de segurança para os clientes. Além disso, de acordo com Kaspersky, o movimento entra em conflito com o princípio da liberdade de expressão.

    Ele elogiou o Twitter pela criação do Centro de Transparência de Publicidade, afirmando que entende que os meios de comunicação social estejam ocupados com pressão pública e política, em meio a uma investigação da influência russa nas eleições presidenciais de 2016. No entanto, Eugene insistiu que as regras atuais do Twitter permitem que empresas éticas legais sejam censuradas.

    "Caso contrário, teremos a censura política sob a máscara de lutar contra a violência e o ódio", diz sua declaração.

    Comentando sobre o tema para a agência Reuters, o Twitter afirmou novamente que a decisão é baseada em um conflito de práticas de negócios. Um porta-voz da empresa também disse também disse que a decisão foi baseada no aviso do Departamento de Segurança Interna alegando que o governo russo tinha acesso à Kaspersky Lab e, portanto, a empresa representava uma ameaça à segurança nacional.

    Tags:
    Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, Reuters, Centro de Transparência de Publicidade do Twitter, Twitter, Kaspersky Lab, Eugene Kaspersky, Rússia, Estados Unidos