21:08 07 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Facebook

    'Cumpra as regras': Rússia ameaça bloquear o Facebook

    © Sputnik / Natalia Seliverstova
    Rússia
    URL curta
    6161
    Nos siga no

    A lei russa exige que todas as redes sociais movam dados de usuários russos para a Rússia. Assim, o Facebook também é obrigado a remover todas as informações proibidas, de acordo com o chefe da agência reguladora russa para internet Roskomnadzor, Aleksandr Zharov.

    "Se nenhuma das medidas for tomada pelo Facebook ou se algumas delas não forem cumpridas, ou se o Estado russo não for informado da intenção de fazê-lo, obviamente haverá uma questão de bloqueio", disse Zharov ao jornal Izvestia.

    O site da rede profissional LinkedIn já foi banido na Rússia por se recusar a cumprir a legislação. O popular mensageiro Telegram foi bloqueado na Rússia depois de se recusar a fornecer ao Serviço de Segurança Federal (FSB) da Rússia chaves para descriptografar suas mensagens.

    O FSB disse que o Telegram é amplamente usado por terroristas. O trabalho da Amazon e do Google na Rússia também está em questão, afirmou Zharov. A Roskomnadzor enfrentou problemas para bloquear o Telegram, já que está usando a Amazon e os servidores na nuvem do Google.

    A Roskomnadzor baniu 16 milhões de endereços IP usados pelo Telegram, incluindo os fornecidos pelo Google e pela Amazon. As ações da agência levaram a sérios distúrbios na Internet russa, e vários sites que usam a hospedagem da Amazon foram bloqueados acidentalmente.

    Zharov negou esta informação, dizendo que 99,9% dos sites inocentes permanecem intocados pelo regulador. O Telegram continua a funcionar como de costume.

    "O presidente do Telegram, Pavel Durov, tem usado as capacidades do Google e da Amazon para contornar a proibição da Roskomnadzor. Ninguém jamais tentou persistentemente contornar o bloqueio", disse à RT o conselheiro presidencial para questões da Internet, German Klimenko.

    O conselheiro disse que os problemas com websites hospedados pela Amazon aconteceram porque seus proprietários não pagaram a taxa de US$ 5 por um grupo único de endereços IP e estavam usando endereços IP públicos em vez de uma versão paga barata.

    Mais:

    'Arrependido', Zuckerberg diz que Facebook vive 'corrida armamentista' com a Rússia
    É possível saber se seus dados do Facebook foram usados pela Cambridge Analytica
    Aplicativo de mensagens Telegram relata falhas de conexão na Europa e no Oriente Médio
    Irã bloqueia o acesso ao Instagram e ao Telegram 'pela manutenção da paz'
    Tags:
    tecnologia, espionagem, criptografia, privacidade, redes sociais, Internet, Serviço Federal de Segurança (FSB), Telegram, Google, Amazon, LinkedIn, Roskomnadzor, Facebook, German Klimenko, Pavel Durov, Aleksandr Zharov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar