14:30 26 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Embaixada da Rússia em Londres, Reino Unido, 14 de março de 2018

    Rússia põe em xeque autenticidade da carta de Yulia Skripal

    © REUTERS / Phil Noble
    Rússia
    URL curta
    Caso Skripal: as vítimas se recuperam (28)
    8172

    A embaixada da Rússia em Londres divulgou nesta quarta-feira (11) uma resposta ao que a polícia britânica afirma ser a mais nova mensagem de Yulia Skripal, filha do ex-espião russo Sergei Skripal, exigindo provas da autenticidade do documento.

    "Nós estudamos com interesse a declaração emitida pela Scotland Yard supostamente em nome de Yulia Skripal. Se o seu conteúdo for verídico, estamos muito felizes por nossa conterrânea. No entanto, não há meios de verificar a publicação pela polícia de Londres, o que levanta mais questões do que responde", disse a embaixada.

    O Reino Unido acredita que o ex-espião russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram expostos ao agente nervoso A-234 (conhecido como Novichok) na cidade britânica de Salisbury. A Rússia refutou todas as acusações, apontando para a falta de evidências.

    "Nós gostaríamos de ter certeza de que a declaração realmente tenha vindo de Yulia. Temos grandes dúvidas sobre isso", acrescenta a nota. 

    De acordo com a embaixada russa, "o documento publicado levanta temores de que a cidadã russa tenha sido isolada contra sua vontade". 

    "Se as autoridades britânicas quiserem acalmar as preocupações públicas, devem imediatamente provar que Yulia está bem e que ela está autorizada a andar livremente", conclui o comunicado. 

    Tema:
    Caso Skripal: as vítimas se recuperam (28)

    Mais:

    Yulia Skripal em comunicado: 'Meu pai ainda está seriamente doente'
    Embaixada russa acusa Reino Unido de estar se livrando das evidências do caso Skripal
    Mídia informa que filha do ex-espião Skripal já teve alta
    Tags:
    embaixada russa, espião, envenenamento, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Reino Unido, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik